REVIEW: American Idol 10.32 – Top 5 – Now & Then

Com a ajuda de Sheryl Crow e Bono/Justin Bieber wannabe, os candidatos cantarão duas músicas, uma dos anos 60 e outra música atual. 

James Durbin – “Closer To The Edge” (30 Seconds to Mars): Sheryl diz que já pode se aposentar após ter cantado com James. Tipo, se isso foi o highlight de sua carreira, tem algo de MUITO errado aí…

Não conheço a banda porque não gosto das músicas, então em minha opinião a música não foi das melhores que ele poderia ter escolhido. Mas se pensarmos direito são grandes as chances de James virar esse tipo de cantor no mundo real…

Vocal ficou mais ou menos, gritado e forçado demais em partes ou cantando muito abaixo do tom em outros momentos. Não é o melhor dele.

Dito isto, achei um absurdo incrível nenhum dos jurados chamou sua atenção sobre seus problemas vocais. Ao invés disso, simplesmente ficaram dizendo o obvio (“você está nos mostrando que quer vencer”, “James está nessa para ganhar!”).

Jacob Lusk – “No Air” (Jordin Sparks feat. Chris Brown): Piada do dia, Jacob acredita que pode ganhar pois a cada performance mostra algo diferente. Diferentes formas de como vergonha alheia, isso sim.

OH MY GOD! O que foi isso que acabei de assistir/escutar?

Foi horrível, engraçado, desafinado, vergonha alheia… Foi um combo incrível esses fatores com a entrada meio divonica, a dancinha sensual e apontando dramaticamente para o público.

Concordo com Randy que este tipo de música não é a direção que Jacob deve seguir e que foi bastante desafinado. Mas ao mesmo tempo que concordo com Randy, discordo firmemente com Jennifer que diz que ele é uma das melhores vozes que já pisaram no palco… Nem de longe isso é verdade, vontade louca de arrastar a Jennifer pelo laço preso no cabelo até a frente de uma televisão e mostra-la quantas vozes melhores já estiveram no programa.

Lauren Alaina – “Flat On The Floor” (Carrie Underwood): Hmm, teria achado algo da Taylor Swift mais apropriado, Carrie acho muito “maduro” pra alguém da idade dela.

“FOTF” exige muita atitude de quem quer que esteja cantando. Carrie não era um poço de atitude e confiança durante sua temporada, foi algo que ela desenvolveu com o passar do tempo e com certeza Lauren também desenvolverá em alguns anos. Então, cantar algo que basicamente exige isso para funcionar, ainda mais com a competição quase no final, é extremamente arriscado acabar mostrando algo que deixará a mostra uma fraqueza como artista.

No geral, Lauren fez um bom trabalho, faltou um pouco de folego em alguns momentos, a atitude até que estava lá, se ela tivesse mostrado ainda mais atitude teria amado a apresentação.

Scotty McCreery – “Gone” (Montgomery Gentry): Não acho que a música serviu para ressaltar seu vocal, mas sim para mostrar seu lado performer.

Gostei do refrão, pois foi aquela coisa cheia de energia que me empolgaria se estivesse assistindo a um show. Fiquei bastante incomodado com ele arregalando os olhos e fazendo umas caras estranhas, mas fiquei ainda mais incomodado pelo fato dele ter voltado a fazer o que estava fazendo há umas 2 ou 3 semanas atrás, quando poderia ter continuado a explorar diferentes lados de sua voz como em “You’ve Got A Friend”.

Haley Reinhart – “You and I” (Lady Gaga): Uita, Haley vai cantar uma música nova da Lady Gaga que ela mesma só cantou em alguns shows e para melhorar, a própria Gaga conversou com Haley e lhe deu sua benção. Isso é uma oportunidade única e assustadora ao mesmo tempo, ter a honra de estrear a música e ao mesmo tempo correr o risco de o público rejeitá-la por não estarem familiarizados com a música.

Tendo conferido a versão original, Haley basicamente arrasa tanto quanto Gaga…

Haley sabe como entrar no clima que a música pede e entregar uma performance crível. Vocal consistente, desenvoltura ótima, melhor da primeira rodada sem dúvidas.

Os jurados realmente devem estar bêbados e drogados… COMO ASSIM ELES ACREDITAM QUE NÃO FOI UMA BOA PERFORMANCE?

Primeiro de tudo, se qualquer outra pessoa tivesse cantado essa música, os jurados estariam babando ovo dizendo que foi uma decisão fantástica, que é uma ótima música, como esse fato é uma honra… Mas o que a Haley leva? “Hmm, não sei… A música não é lá aquelas coisas”, “Foi um risco que não valeu a pena” #WTF??

Randy diz que gostaria de tê-la visto cantar algo da Joss Stone, mas essa música poderia muito bem ser material da Joss, está na mesma linha que ela cantaria.

A bitch face de desapontada que a Haley exibe (e com toda a razão) mostra que ela mesma sabe que a querem fora do programa e que basicamente pode cantar a ponto de anjos descerem do céu, que ainda assim terá que escutar m*#@% dos jurados.

James Durbin – “Without You” (Harry Nilsson): Quem diria que James cantaria algo tão  divonica e ainda choraria por causa dela…

Santa desafinação Batman. Mal começa a música já da para notar que James já está querendo chorar, sua voz está longe de perfeição aqui (extremamente berrada nas notas altas), emoções fora de controle, gostei do fraseado em alguns momentos.

Sempre cobro emoção em músicas deste tipo, mas emoção descontrolada chega até a ser pior do que não demonstrar emoção alguma. Tipo, exemplo perfeito de controle das emoções cantando músicas que significam muito para o cantor é o Matt Cardle ou até mesmo a Crystal Bowersox, que direcionou toda sua emoção na música de uma forma controlada e desabando ao final da apresentação.

Sinceramente, não sei de mais nada… Tá, a apresentação foi emocionante de ser ver (de VER, não de ouvir), mas desconsiderar uma apresentação completamente desafinada, pois a apresentação foi emocionante é ridículo em minha opinião.

Jacob Lusk – “Love Hurts” (Nazareth): A música é uma sugestão de Jimmy, Jacob não acredita que é a música certa até que Sheryl canta a música de uma forma bem suave e emocional. Bem que poderíamos escutá-la em vez do Jacob…

A primeira parte da música achei boa, mas assim que a banda começou a tocar o trem descarrilhou… Gritaria, desafinação e exibição de “emoção” em excesso.

Jacob em certo momento canta “it hurts / it hurts” (“dói”). Com certeza essa segunda parte da música dói…

Comentários sem pé nem cabeça novamente que me recuso a comentar senão a coisa vai pegar fogo aqui e serei demitido daqui…

Lauren Alaina – “Unchained Melody” (The Righteous Brothers): Jimmy e Sheryl acreditam que Lauren não tem a maturidade necessária para a música.

Vocal ótimo, mas é o que os mentores disseram, Lauren não tem a maturidade necessária para colocar a dor e emoção que a música necessita para resultar naquele momento especial.

Scotty McCreery – “Always On My Mind” (Elvis Presley): Em minha opinião, bem mais interessante do que sua primeira apresentação. Vocal típico do Scotty, sólido com poucos problemas e levemente… Chato. Se ao menos ele tivesse mostrado novamente os diferentes lugares que sua voz poderia ir.

Típica performance do Scotty, típico comentários dos jurados.

Haley Reinhart – “House Of The Rising Sun” (The Animals): Hmm, somente o fato dela ter escolhido cantar a mesma música que a minha querida Siobhan Magnus e escolher começar à capella, mandaria ela pro inferno várias vezes.

Mas por mais cético que eu tenha ficado no começo da apresentação, fiquei surpreso com a interpretação da pequena Haley.

Fez escolhas vocais interessantes explorando diferentes partes de sua voz. Em certo momento ela exibiu uma certa sensualidade que em minha opinião não se encaixa na música, mas fora isso é a melhor apresentação da noite sem sombra de dúvidas.

Caso Haley seja eliminada no lugar do Jacob, vou pessoalmente para os Estados Unidos remediar essa situação.

Adoro a cara de “bitch please” que a Haley faz para a babação de ovo dos jurados, a essa altura do campeonato ela já nem liga mais para que os jurados tenham a dizer, o que é bem inteligente da parte dela.

Com apenas 3 semanas de programa restando acho um extremo absurdo que ainda não tenhamos tido um MOMENTO como de Kris Allen com “Heartless”, Adam Lambert com “Mad World”, Katharine McPhee com “Somewhere Over The Rainbow”, Melinda Doolittle cantando qualquer música, Lakisha Jones e sua interpretação de “And I’m Telling You”, David Cook e “Billie Jean”, Archuleta com “Imagine”, Lee com “The Boxer” somente para citar alguns, que é basicamente impossível negar, mesmo não sendo fã do candidato, que a performance não o tenha deixado de boca aberta.

Particularmente acho que foram poucos os candidatos desta temporada que conseguiram evoluir ao longo da competição (Haley e talvez James), mesmo tendo vários outros candidatos com tremendo potencial (Lauren, Scotty, Stefano, Casey). O que difere a evolução dos candidatos desta temporada com os de temporadas passadas são o incentivo em forma de críticas construtivas.

Em temporadas passadas, os candidatos “apanhavam” dos comentários do ácido Simon Cowell e até mesmo da Kara DioGuardi que criticavam com o intuito de empurrá-los para a grandeza, não ficando apenas no lenga lenga de paz e amor onde todos cantam perfeitamente  bem  e estão prontos para o estrelato. Francamente, se o painel de jurados for o mesmo na próxima temporada ou se continuarem a serem os mesmos bundões que viraram basicamente fantoches nas mãos dos produtores, desisto do programa antes que eu me esqueça  dos bons momentos que o programa me proporcionou no passado.

Minhas escolhas para essa semana seriam:

Atual: “Jar Of Hearts” – Christina Perri, “Someone Like You” ou “Set Fire To the Rain”- Adele ou até mesmo “Thinking Of You” da Katy Perry.

Anos 60: “I Want To Hold Your Hand”, “Yesterday” ou “Strawberry Fields Forever” – The Beatles. “Bring It On Home To Me” – Sam Cooke ou “Jumpin’ Jack Flash” do Rolling Stones.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: