Review: Buffy the Vampire Slayer – A mediana, porém divertida, Season 1

“This is BUFFY THE VAMPIRE SLAYER. Each one of those words is actually very important. One of them is funny, one of them is scary, one of them is action, that’s what the show is. The THE is not that important, but I’d like to keep it, because otherwise that’d be a weird title.” Joss Whedon

A Summer Season mal chegou e já comecei minha habitual maratona de séries antigas. A escolhida foi a primeira grande obra Joss Whedon na TV. Sempre achei Buffy The Vampire uma série muito divertida. Na adolescência, vira e mexe, via um episódio ou outro na FOX, porém, nunca fui um fã confesso do programa. Costumava encará-la apenas como uma série adolescente enlatada que sobrevivia às custas dos casos da semana, que alternavam entre vampiros e demônios, ignorando completamente o fato de que, por trás das aberrações de cada episódio, havia uma mitologia criativa e muito bem detalhada sobre a caçadora título e suas obrigações. Ou seja, nunca entendi muito bem aquele oba-oba todo em torno da série. Mas após me apaixonar incondicionalmente por Dollhouse, Firefly e Dr. Horrible’s Sing-Along Blog (criações de Joss Whedon, caso você esteve em outro planeta nos últimos 20 anos), minha opinião começou a mudar.

Por quê? Vejamos: se o cara conseguiu desenvolver tramas bizarríssimas, envolvendo prostituição sci-fi (Dollhouse) e faroeste espacial futurístico (Firefly), por que não ter êxito em uma série sobre vampiros? Por isso que, nesse ano, finalmente decidi correr atrás do tempo perdido e conferir toda a série. Como não achei muitos textos em blogs nacionais, principalmente que cobrissem as primeiras temporadas, decidi fazer alguns recaps enquanto vou assistindo aos episódios. E como já estou no início do ano três, vou fazer um apanhado geral dos dois primeiros anos, começando pela Season 1. Preparados? Então pegue sua cruz, sua estaca de madeira e vem comigo.

Season 1 – É a temporada mais curta e que, infelizmente, contém os episódios mais chatos. Mas se você aguentou o primeiro ano inteirinho de Doctor Who, não tem por que juhsueddar (pular) toda a primeira temporada. Meu problema com esse início é que tem muitos monstros bizarros, quase nada de vampiros e pouco desenvolvimento dos personagens. E por monstros bizarros digo: demônios infiltrados na internet, louva-a-deus sedutora e hienas místicas. Felizmente, os personagens são cativantes o suficiente para nos prender à história, o que torna esse samba do crioulo doido até que divertido. Dentre os 12 episódios, destaco os seguintes (contém spoilers):

Welcome to the Hellmouth (1×01): É onde tudo começou. Após incendiar o ginásio de seu antigo colégio em Los Angeles, a série tem início no primeiro dia de aula de Buffy em sua nova escola, na pequena cidade de Sunnydale. Coincidentemente, o lugar é tido como a Boca do Inferno, ou seja, região mais do que propícia para a garota colocar em prática suas obrigações de caçadora de vampiros. Welcome to the Hellmouth é fundamenta para nos apresentar aos personagens principais e à premissa da série.

Angel (1×07): Nesse belíssimo e importante episódio, descobrimos um pouco o passado de Angel, como ele se tornou um vampiro e sobre a particularidade que o difere dos outros de sua espécie: devido a um feitiço cigano, sua alma fora restaurada, tornando-o passível ao sofrimento de todo o mal que causara e possa vir a causar. É aqui que, de fato, sua relação com Buffy tem início. Destaque para a metáfora da conflituosa relação amorosa do casal, representada pela marcante cena do beijo dos dois ao término do episódio, com o crucifixo da caça vampiros queimando o peito de Angel.

Prophecy Girl (1×12): Melhor episódio da temporada e, certamente, o que melhor define o caráter da série. The Master finalmente dá as caras e é Buffy a única salvação da humanidade, porém, a profecia afirma que se ela confrontá-lo, ela morrerá. Não que a garota seja obrigada a se sacrificar, mas se não confrontá-lo, o resto do mundo terá de pagar por sua covardia. Mas estamos falando de Buffy, a loirinha mais badass da California (Calma! Não me esqueci de Veronica Mars, mas isso fica para outro post), ou seja, fugir de suas obrigações não é de seu feitio. A profecia pode não ser das mais originais, porém Joss usa de todo o seu melhor como roteirista e diretor nessa Season Finale, nos presenteando com cenas ricas em detalhes intensos que evidenciam o fardo que Buffy carrega como a “garota da profecia” e o quão necessário é o seu sacrifício para dar um fim ao terror que assombra Sunnydale. Destaque para a breve cena com a TV ligada em um desenho animado, cheia de manchas de sangue, indicando o massacre que acontecera na sala, e o terror com que Willow lamenta o quanto tudo mudou nos últimos meses (“It wasn’t our world anymore.”). Uma finale extremamente superior a todos os outros 11 episódios juntos da temporada.

Considerações finais:

  • Meu Deus, como Cordelia é um porre nesse primeiro ano! Cordelia adulta do spin off  Angel parece outra pessoa, não?
  • Não consigo olhar para o Xander e não imaginá-lo como um irmão de Chandler de Friends.
  • Alyson Hannigan❤

PS. Recap da segunda temporada já está a caminho!

5 Responses to Review: Buffy the Vampire Slayer – A mediana, porém divertida, Season 1

  1. Rubens Rodrigues disse:

    Zé, concordo com tudo que você disse. A temporada é um pouco chata mesmo, mas os personagens são tão bons que nem dá vontade de largar. Quando vi Prophecy Girl me perguntei por que demoraram tanto pra fazer um episódio bom assim. Deu pra ver o potencial que a série tinha pra continuar nos anos seguintes.

    E btw, dos poucos episódios que vi da S2 deu pra perceber que a história cresce e fica bem mais sombria. Não vejo a hora desse período de finales passar pra continuar a maratona Buffy!

    • Zé Picelli disse:

      Faça isso, Rubens! Retome a segunda temporada o quanto antes. Eu tinha visto a primeira parte da S02 no começo do ano e só terminei na semana passada. A segunda parte é muuuito boa e a reta final é repleta de emoções!

  2. Tattinha Carneiro disse:

    não vai sair a segunda temporada?

  3. Barbara disse:

    Oi, acho que você vai gostar bastante das temporadas seguintes… eu assisti recentemente todas as temporadas, fiz uma super maratona. E se você gostou da primeira, vc vai adorar as seguintes.

    • Zé Picelli disse:

      Olá Bárbara!
      Estou vendo a passos de tartaruga, sem pressa.
      Estou no meio da quarta temporada. É realmente a série só melhora após o término da primeira. Considero uma das minha séries favoritas. Valeu pelo seu comentário😀

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: