Review: Prófugos – 1ª Temporada – Episódio 10

Incrível, incrível e incrível.

Episódios como esse me fazem querer que esta temporada de Prófugos tenha 200 episódio, porque vai ser muito difícil, daqui a algumas semanas, não ter mais episódios inéditos desta série. Sou fã do realismo de Prófugos e da forma cruel com qual mostram o desenrolar dos problemas dos envolvidos no cartel Farragut, afinal de contas, não tem como ser sutil quando o assunto é o violento tráfico de drogas na América Latina. São nos episódios que a série nos choca ao mostrar o quão cruel o ser humano pode ser, que percebemos mesmo estar diante de uma das melhores coisas atualmente na televisão.

A coisa já começa num nível de tensão absurda. Aguilera havia sequestrado dois moradores de La Lengua (vila em que os prófugos estão encondidos) e notamos o quão determinado ele está em encontrar seus inimigos. Desde o dia em que Moreno decapitou o filho de Aguilera, observamos que ele virou um cara bilhões de vezes mais violento e a cena dele arrancando os dedos daquele garoto só ajudam a confirmar essa ideia.

Enquanto isso, Ximena, que teve uma participação brilhante neste episódio, começa a caminhar para as que devem ter sido suas piores horas na vida. Primeiro, vemos Ximena contatando a chefe de investigação da Polícia Chilena (acho que ela era isso, né?) e mostrando o bendito vídeo que prova que Oliva teria assassinado Fabián. Comecei a ficar preocupado ao imaginar que só Ximena e aquela jornalista lá sabiam da realidade por trás do caso Fabián, sabemos que Oliva não teria problemas em eliminá-las, mas agora acho que as chances desse crime terminar impune são muito pequenas.

Salamanca continua sendo ídolo e vê-lo tão comprometido por causa do seu estado de saúde é uma coisa bem triste. Pra mim ele sempre foi o melhor personagem da série e o prófugo com a história mais densa/profunda/interessante, e a aquisição de Irma para o elenco fixo da série só contribuiu ainda mais para torna-lo ainda mais interessante. A gente acompanhou por tanto tempo Irma esnobando as atitudes do pai, menosprezando a existência de Salamanca e demonstrando não querer ficar perto dele, que vê-la agora preocupada com Salamanca é uma coisa bem bonita de assistir. O olhar de preocupação de Irma na cena em que os dois conversam sobre a doença de Salamanca é emocionante, e vemos Irma, pela primeira vez, derrubando as barreiras que colocou pra separá-la do pai e aceitando um abraço dele. Cena linda!

Irma mudou muito nesses dez episódios, deixou de ser aquela menina reclamona e sem função, passando agora a ser da família prófugos, claro, com as devidas ressalvas feita por Moreno. Ela sempre demonstrou ser uma garota sem ninguém, que não se enxergava em nenhum grupo e agora, principalmente depois da morte de Buitre, Irma está mais serena, menos infantil e mais agradável. A vingança muda mesmo as pessoas!

Foi um desespero acompanhar o desenrolar da história de Ximena neste episódio, há muito tempo eu não via algo tão agoniante e tenso assim em uma série de televisão. Impossível não suspeitar que Oliva iria invadir a casa de Ximena ou persegui-la para reaver o vídeo que estava com ela, todos estávamos esperando isso, mas não pensei que Oliva fosse ser tão violento como ele foi. Toda aquela tortura certamente deixariam o Jack Bauer (24 Horas) e o Sayid (Lost) boquiabertos. Eu ficava assistindo aquelas cenas pensando o tempo todo “Meu Deus, alguém invade esse apartamento e salva a Ximena, por favor!!”, mas ninguém aparecia.

Oliva é um psicopata, é cruel, é egoísta, é inteligente e é falso, ou seja, é tudo o que uma série precisa para ter um vilão de verdade. O personagem é tão bem construído e a atuação do ator (desculpem, fiquei com preguiça de procurar o nome) é brilhante, a ponto de fazer-nos odiar o personagem com toda nossa força.

E estava muito enganado quem achava que Oliva ia se contentar ao se livrar da cópia do vídeo que estava com Ximena. Come on, né? Claro que ele ia atrás de Marcela, a jornalista que estava com a gravação original da morte de Fabián. A violência de Oliva em relação à Marcela foi igualmente cruel e se com Ximena ele ainda estava sendo meio cauteloso, com Marcela, Oliva já começa disparando um tiro na perna da jornalista.

Tirando um pouco o foco da história de Ximena e Oliva, a coisa é igualmente tensa e violenta em relação aos prófugos neste episódio. Aguilera tenta invadir La Lengua para encontrar seus inimigos, no entanto, depois de uma maravilhosa cena de ação (Prófugos sabe fazer cenas de ação como poucas outras séries!), a união dos moradores da vila, de muito tiro e fogo pra tudo quanto é lado, os prófugos conseguem capturar Aguilera. Estamos falando de Aguilera que é simplesmente o cara que tirou a vida de Kika, sublinhando só para vocês ficarem cientes mesmo do que está acontecendo na série.

Moreno, Vincente, Salamanca e Tégui logo começam a bater em Aguilera para saber onde diabos estava o dinheiro conseguido com a venda da cocaína da operação no começo da temporada. E quando o assunto é tirar a verdade da boca das pessoas, nada melhor que deixar Moreno resolver esse problema com suas avançadas técnicas de tortura.

Moreno superou todos os níveis de violência antes empregados em suas torturas, a crueldade utilizada contra Aguilera foi tão pesada que deixou até os outros prófugos impressionados. Tanta violência que acabou despertando as profundezas do inconsciente de Oscar Salamanca, fazendo-o lembrar das torturas que sofreu durante seus anos como revolucionário e recordou de algo ainda mais chocante: Mario Moreno era um dos seus torturadores. WHAT THE FUCK!?!?!

Revelação pra explodir a cabeça de qualquer fã da série. Fiquei completamente sem reação ao me deparar com as memórias de Salamanca e me dar conta de que o caos estava instaurado entre os prófugos. A coisa ganhou uma dimensão completamente diferente agora e a reta final da série já promete coisas mindblowings. A história dos quatro companheiros traficantes querendo apenas ganhar uma bolada acabou e não tem mais volta, Salamanca não perde tempo e parte logo pra cima de Moreno, se vingando de toda a violência que passou nas mãos de Moreno.

A coisa fica ainda mais impactante quando vemos Moreno pegando Irma como refém e fugindo do vilarejo levando a garota (depois ele a empurra do carro em movimento!).  A conclusão que tiramos de tudo isso é que Moreno é um monstro, sempre foi e só não imaginávamos que um dia seus atos fossem ser utilizados contra seus parceiros de crime, como está acontecendo agora.

Não fosse pouco, Tégui e Vicente ainda se desentendem por conta da história do traidor que Aguilera confirmou existir no grupo dos prófugos. Vicente descobre que Tégui tem contato com Ximena, a promotora que estava cuidando do caso deles, ou seja, o disfarce de Tégui estava indo por água abaixo. Já deu pra perceber que o clima de tensão está em todos as histórias da série, né!?

Com todas essas coisas incríveis que já falei aqui, o episódio ainda acaba com outro momento marcante: Tégui invadindo o apartamento de Ximena. Que vontade eu estava de ver alguém dando uns murros na cara de Oliva e agradeço a Tégui/Parraguez por ter sido a pessoa a fazê-lo. Alegria ao saber que alguém apareceu pra acabar com o evil plan de Oliva e pra parar a sessão-tortura (no bom sentido! (?)) que foi esse episódio. Tégui consegue salvar a vida da sua querida Ximena, no entanto, Oliva facilmente foge de cena e deixa Tégui comendo poeira.

O episódio termina de um modo impressionante, impossível pensar em outra coisa além do que o que acabamos de assistir. É tudo construído em uma qualidade tão impressionante e os ganchos deixados são tão fodas que a gente tem apenas que agradecer a HBO Latin America por nos presentar com essa série. A promo do próximo episódio já deixa qualquer um com o coração na mão, sabemos que um dos prófugos irá morrer e está me atormentando tentar adivinhar quem será.

P.S: E a história do sequestro de Laura?! Não para de acontecer coisas nessa série. Sério, Prófugos, deixa a gente respirar por alguns segundos!!!!!

Sobre Aécio Rocha
.

One Response to Review: Prófugos – 1ª Temporada – Episódio 10

  1. LUIS CLAUDIO SILVEIRA disse:

    Olá Aécio, concordo com todos seus comentários, mas o que mais me impressionou na série, além é claro da exposição de como se dá o tráfico na América Latina, foi como o tema homessexualidade foi mostrato, o personagem Néstor foi brilhante nas cenas de sexo e roamance, seus valores acima de sua sexualidade, fantastico, nunca mostrado anteriormente em nenhum progr

    ama, série ou filme, brilhante!!!!!!!!!!!!!!!11

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: