Review: Around The World For Free (with Parvati Shallow) – 3ª Temporada

Você toparia viajar o mundo sem um centavo no bolso e dependendo apenas da ajuda de pessoas que você conhece pela internet? Essa é a ideia de Around The World For Free, o (web)reality show interativo da CBS que contou com a participação da Parvati Shallow, eterna rainha de Survivor, como a aventureira da vez.

Esse ano, em sua terceira temporada, a produção do Around The World For Free anunciou que teríamos Parvati Shallow (Sim, a Parvati FUCKING Shallow de Survivor!) como host do programa. ou seja, teríamos a oportunidade de conhecer um pouco mais dessa linda e adorável mulher, além de podermos nos inspirar com uma aventura tão bacana quanto essa que é o plot do reality.  ATWFF seria basicamente mais um desses reality shows de viagens, não fosse a ideia inovadora que traz consigo: o participante não pode usar nenhum centavo e em tudo depende da ajuda dos outros, forçando assim uma maravilhosa interação entre o host e o pessoal que acessa o site do programa/Twitter/Facebook e que influencia no destino da Parvati. Bem interessante, né?

Durante 100 dias Parvati visitou dezenas de países, conheceu centenas de pessoas, nos apresentou a lugares incríveis e, claro, além de nos inspirar a querer sair conhecendo o mundo, também deixou todo mundo com inveja da vida que ela teve durante esses três meses. E obviamente que o Ritual de Séries não poderia deixar de comentar alguns ótimos momentos dessa aventura. Então vamos lá!

Depois de uns episódios chatinhos com a Parvati tentando sair dos Estados Unidos chegamos a um dos momentos mais marcantes da temporada, o Haiti. Acho que essa foi a hora que o reality show me fisgou de verdade e percebi que ótimas coisas poderiam sair dessa aventura da Parvati. Toda a situação do Haiti mostrada nos episódios foi uma coisa meio brutal, já sabíamos que tudo aquilo acontecia, mas o ar intimista (e interativo) do ATWFF serve para dá um ar mais impactante às coisas que vimos. Lembram da Parvati tomando banho com meio balde de água (semi-suja)? E da agência de adoção que envia salva a vida de várias crianças que não teriam como sobreviver no Haiti? Difícil esquecer, né?

O excelente em acompanhar o ATWFF é ver que existe mesmo uma interação com a Parvati, já que volta e meia ela respondia algo que postávamos no site da CBS, tuitava os fãs pedindo sugestões de locais para visitar ou pedia hospedagem na casa de alguém. Afinal de contas, todos os passos que ela poderia dar no programa dependiam da ajuda dos fãs e das pessoas que ela ia conhecendo nos lugares que ela chegava. Depois do Haiti temos uma excelente jornada por vários países da América Central, entre eles Santo Domingo, República Dominicana, Barbados e Guiana.

Gostei de ver a Pavs explorando a República Dominicana e me deixando com inveja dos locais que ela estava visitando. O ATWFF tem uma capacidade imensa de nos fazer querer largar tudo e conhecer países que antes nem tínhamos vontade de tentar localizá-los no mapa e isso aconteceu diversas vezes comigo. Tanto a República Dominicana, que têm lugares maravilhosos para conhecer, quanto Barbados foram locais que Parvati conseguiu mostrar ótimas coisas, principalmente pela ajuda das pessoas que cediam a cada para ela se hospedar. Bacana ver que pessoas do mundo todo estavam acompanhando o reality e dispostos a ajudar a Parvati!

Descendo mais um pouco na América, Parvati finalmente chega mais perto do Brasil. Quando ela disse que estava na Guiana e que estava fazendo de tudo para conseguir chegar o mais rápido possível no Brasil, meu coração de fã de Survivor e da Parvati se empolgou e fiquei torcendo pra que ela aparecesse logo aqui em terras brasileiras. Depois de conhecermos um dos locais mais bonitos mostrados nesta temporada do ATWFF, as Kaiteur Falls, Parvati anuncia que está com os pés no Brasil, mais precisamente em Roraima.

Isso foi uma alegria, além do que saber que Parvati estava disposta a visitar vários lugares no Brasil foi algo ainda mais legal. Todo o tempo que ela ficou no Brasil foi uma coisa excelente, a interação com os fãs brasileiros, os tweets dela incrivelmente apaixonada pelo país e a repercussão que isso causou nos fãs de Survivor foi bem interessante.

No Brasil acho que dois momentos chamaram nossa atenção: Fortaleza e Rio de Janeiro. Em Fortaleza acompanhamos Parvati mostrando toda sua vibe nordestina ao se entregar ao forró (sensacional ela dizendo essa palavra, né?!) da noite cearense, também a vemos pegando um bronzeado nas belas praias de Fortaleza e tentando aprender alguns passos de capoeira. Tem como ser mais brasileira que isso? Calma, tem sim!

Depois de alguns dias em Fortaleza Parvati consegue, com a ajuda do seu jeito paqueroso, uma passagem para o Rio de Janeiro e lá fica hospedada na casa de Mark e Brita, duas pessoas extremamente marcantes na aventura de Parvati. O tempo no Rio é excelente, Parvati vai ao samba, tem dimensão do tamanho da Rocinha, toma caipirinha e ajuda a preparar um churrasco tipicamente brasileiro, além disso, ainda conhece as mais belas vistas do Rio. A visita à Pedra da Gávea e o invejável pulo de asa delta foram momentos bem marcantes, tudo isso ficou ainda mais interessante quando vemos que Parvati criou um laço fortíssimo com sua nova família carioca. É uma coisa linda de assistir!

Depois do Brasil, Parvati consegue chegar na capital da Argentina e lá conhece Juan, um dos caras mais ídolos de toda essa temporada. Juan é o host de Parvati em Buenos Aires e é uma diversão vê-lo completamente afim de Parvati e tentando de todas as maneiras ter uma chance com ela. É o tipo de cara que merece respeito por pelo menos ter tentado alguma coisa com a Parvati, afinal de contas é meio difícil hospedar uma mulher linda dessas em casa e resistir ao charme dela. Divertido assistir Parvati dançando tango com o velhinho no meio da praça, andando de bicicleta no complicado trânsito de Buenos Aires e ajudando a construir casas em Cordoba.

Depois de muito percorrer a América, Parvati resolve cruzar o oceano e conhecer a África, começando pela África do Sul. E, claro, quando estamos na África o que não podemos deixar de visitar? Os safaris!!!

Parvati visita um safari com a adorável família que a hospedou na Johanesburgo e nisso temos ótimos momentos. Não só por conta de estarmos acompanhando as reações de Parvati ao se deparar com vários animais selvagens, mas também porque é sempre interessante assistir a troca de cultura que o reality oferece. A gente acaba aprendendo muita coisa com esses mini episódios do ATWFF e como vimos em um deles, tem até uma professora de geografia que avisou pelo message board da Parvati que estava dando aulas utilizando os episódios do programa.

Parvati tinha a intenção de conhecer alguns países da África, chegar no Quênia ou em Dadaab para poder ver de perto a caótica situação causada pelos conflitos político-religiosos que chamam estavam sendo noticiados pela impressa de todo o mundo. Entretanto, a aventura de Parvati toma um rumo completamente diferente e acaba virando um grande drama para ela. Na Namíbia, Parvati fica hospedada na casa de dois caras que a convidaram para conhecer umas dunas que eram ponto turístico da região, além de serem garantia de diversão a qualquer um que as visitassem.

Depois de muito brincar nas dunas, de surfar e escorregar em toda aquela areia, Parvati sofre um acidente no quadriculo que dirigia, desmaia e fratura seriamente o pulso. É horrível acompanhar esse momento dramático e ver o desespero dos hosts e da produção com o que tinha acontecido com Parvati. Pior é que logo descobrimos que a situação do braço dela era séria e que Parvati estava proibida durante três semanas de viajar de avião, já que isso poderia prejudicar sua saúde. Ou seja, Parvati estava presa na África e que não veríamos ela em lugares como a Austrália, que era um local que ela disse que queria muito conhecer.

Mesmo tendo escutado todas as recomendações dos médicos, a situação do braço/pulso de Parvati acabou se complicando e chega um momento que ela se ver obrigada a fazer uma cirurgia para colocar um pino no local onde o seu braço tinha faturado. É tudo bem tenso e Parvs fica mais ou menos uma semana  (uns 4 episódios) apenas se recuperando da cirurgia e sendo muito bem cuidada pela sua host family de Johanesburgo. A pergunta era saber se Parvati teria condições de continuar sua jornada ou se o programa teria seu final antecipado. Ah, mas estamos falando da Parvati Shallow, uma das mais habilidosas participantes de Survivor, e a conhecemos o suficiente para saber que ela não desistiria tão perto do fim do Around The World For Free.

Presa na África o jeito foi explorar ainda mais o gigantesco continente. Parvati conheceu vários lugares, entre eles tivemos bons momentos na Botswana, Garisa e Dadaab, A visita a tribo Himba e o contraste cultural que vemos foi algo bem interessante de assistir, bem como a forma com que Parvati consegue interagir com a matriarca da tribo. É tudo tão diferente e tão curioso que certamente conseguiu chamar atenção dos mais alheios às outras culturas, e mesmo que já estivéssemos cansando de tantos episódios na África, ainda assim a coisa foi bacanuda.

O que segue depois são os momentos finais da aventura: a visita ao maior campo de refugiados em Dadaab. Da mesma forma que na tribo Himba, a interação de Parvati com os refugiados também chama atenção, primeiro porque é brutal assistir uma realidade tão pesada quanto aquela e também porque foi bom ver Parvati tentando fazer algo para ajudar os refugiados, o pequeno gesto de emprestar o celular para as pessoas tentarem se comunicar com seus familiares se torna algo gigantesco na cruel realidade de Dadaab. A ação da Cruz Vermelha na maioria desses países é algo que merece aplausos e o ATWFF conseguiu evidenciar bem o trabalho deles, além de mostrar o lado mais intimo/pessoal dos conflitos da África.

 

100 dias se passam e 50 episódios depois nos despedimos da inspiradora aventura da Parvati no Around The World For Free, que termina com ela voltando lá de onde tudo começou: os Estados Unidos. Percebemos que Parvati estava numa vibe incrível de continuar visitando o resto do mundo e não querendo muito voltar para a sua realidade pequena sabendo que existe um mundo inteiro para ser explorado. Mesmo com a saudade que ela estava de casa, sabíamos que o seu maior desejo era continuar conhecendo o mundo. Mas, afinal, quem não iria querer continuar nesta maravilhosa aventura?

A terceira temporada do Around The World For Free termina deixando saudades nos fãs, especialmente naqueles que assistiram o (web)reality apenas para ver mais alguma coisa com a Parvati de Survivor e acabaram adorando todo o programa. Impossível não ficar inspirado a largar tudo e sair conhecendo o mundo depois de assistir o ATWFF e de não ficar desejando mais alguns episódios do programa para assistir mais um pouco da Parvati ao redor do mundo. Com o fim da temporada ficamos nos perguntando quem será o escolhido para protagonizar a próxima temporada de Around The World For Free, espero que seja alguém interessante a ponto de nos motivar a assistir o programa, como a Parvati conseguiu fazer nesta temporada.

Só acho que o Around The World For Free deveria logo entrar para a grade da CBS e que os episódios fossem maiores, já que acompanhar episódios de 5-7 minutos sabendo que poderíamos ver muito mais coisa de cada um daqueles países é meio revoltante.

E aí, mais alguém acompanhou o Around The World For Free? O que acharam da jornada da Parvati ao redor do mundo?

Sobre Aécio Rocha
.

4 Responses to Review: Around The World For Free (with Parvati Shallow) – 3ª Temporada

  1. Will Takaezu disse:

    Primeiro que só fiquei sabendo da existência desse programa por sua causa, mesmo tendo a rainha Parvati ou Poverty como nosso querido (?) Russell Hantz diria. Ou seja, shame on me por não ter descoberto sozinho haha.

    Passar esses 3 meses acompanhando a Parvs foi um passatempo extremamente prazeroso para passar vontade de fazer o mesmo (só que eu provavelmente morreria depois de 2 dias de viagem dependendo da bondade dos outros haha) e tomar conhecimento de lugares que nunca imaginaria que tivesse tantas belezas e coisas interessantes para se fazer. Além disso, é sempre bom ver alguém que estamos acostumados a ver quebrando a cabeça com blindsides, alianças e afins mostrando que é uma pessoa normal e um amor de pessoa no mundo real.

    Adorei ver o quanto ela amou sua passagem pelo Brasil e o carinho que ela pegou pelo Marc e Britta, quero virar amigo deles também, vai que a Parvati volta pra visitar eles…

    Outro ponto que adorei do programa foi a preocupação em expor as dificuldades que as pessoas enfrentam diariamente em certos lugares. Não tem como não ficar com um certo nó na garganta com a passagem dela pelo Haiti e Dadaab.

    Dude, você só esqueceu de comentar a fantástica trilha sonora do programa que foi um show a parte. The Parlotones tocando sem parar por aqui, mas ainda preciso rever e anotar um monte de banda interessante.

    Próximo sonho: Ver Parvati e Amanda/Russell em The Amazing Race ou de volta em outra temporada de Survivor.

    BTW, viu a entrevista dela no The Talk depois que ela voltou pro US?

    Ela comentando a carona para Iguazu é ótimo

    • Aécio Rocha disse:

      PUUTZZZ, GIRO!!!!

      Como eu esqueci da trilha sonora? COMO EU ESQUECI DE COMENTAR A TRILHA SONORA?!?!?!?!!
      É de longe uma das coisas que mais gostava no reality shows, as bandas eram excelentes e do meio pro final já estava super familiarizado com boa parte das bandas. Fui anotando o nome das músicas pra depois procurar na internet, já que a maioria das músicas é obrigatória. Se achar um pack com todas as mp3 do Around The World For Free, compartilhe ae.

      Ah e sim, daaaaaaaaaaaaaamn os Parlotones!! Já conhecia a banda desde a Copa, mas ouvir o som deles no programa e vê-los todo paquerosos pro lado da Parvs foi muito bacana. Sério, preciso ficar amigo do cara que escolhe as músicas do Around The World For Free e forçá-lo a ficar constantemente atualziando musicalmente o meu Ipod.

  2. Zé Picelli disse:

    Meu Deus! Mais do que nunca preciso ver Survivor para ser do Team Parvati e apreciar isso aí!
    Me sentindo um verdadeiro peixe fora d`água aqui.

    • Aécio Rocha disse:

      Sinta-se um peixe fora d’água, viu?

      Faça uma maratona de Survior Micronesia (Fans Vs Faves) e Heroes Vs Villains e aí você terá noção de quem é Parvati Shallow (aka Porvaty, Parvs, Parvadia ou Queen Parvati).

      E não tem desculpa que não tem tempo pq Survivor a gente assiste até fazendo o número 2.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: