The X Factor UK 8 – Top 16 – UK vs US + Eliminação

“SING BOY!!!”

Se tranquem no quarto, coloquem o headphone e se preparem para o melhor primeiro Live Show que o programa já teve (e por já teve, digo desde a 4ª temporada, pois não acho as 3 primeiras em lugar algum). 

O Top 16 cantarão pela sua sobrevivência músicas do US Vs UK, seja lá qual era a intenção desse versus, mas o negócio serviu somente para dar completa liberdade nas song choices.

E o grande twist para esta primeira semana é que os candidatos não serão eliminados pelo voto popular, e sim por seu próprio mentor. Ou seja, cada mentor terá a difícil tarefa de escolher o eliminado de sua própria categoria…

Amelia Lily – “Billie Jean” (Michael Jackson): Ela parece tão diferente com menos maquiagem… Sério, quantos quilos de maquiagem ela usava antes?

Mas enfim, adorei o makeover dela.

Song choice me fez torcer o nariz imensamente, já que me lembrou do fiasco broxante que foi a apresentação do Austin Drage (tanto potencial desperdiçado…), mas Amelia me surpreendeu com sua versão, não acreditava que ela era capaz de fazer uma apresentação crível de rock e olha, retiro o que disse semanas antes sobre ela ter que fazer algo mais pop com leves toques de rock… Minha filha, faça rock assim que tá fucking awesome.

E ela tem tanta presença de palco… Os vocais foram competentes, já ouvi ela cantar melhor, mas ainda assim foi uma ótima performance.

Johnny Robinson – “Believe” (Cher): Não sei se dou risada ou se choro de desgosto. Que diabos foi isso?

Com noticias de que Johnny era uma drag queen antes do programa, não duvido nada que ele siga os passos do Alex de The Glee Project e passe a se apresentar em drag também.

Se ele não tivesse essa voz de chipmunk depois de engolir um balão de hélio, talvez ele remotamente se tornaria um guilty pleasure.

Rhythmix – “Superbass” (Nicki Minaj): E não é que Tulisa conseguiu tirar leite de pedra? Os vocais e harmonias melhoraram imensamente desde a apresentação do Judges House. Em alguns momentos elas se empolgaram demais e ficou uma coisa mais gritada do que cantada, mas num geral a apresentação ficou bem cool e mostrou que as garotas tem potencial.

O que me surpreendeu é que toda temporada com as girlbands montadas pelos jurados, as meninas brigam entre si para cantar mais do que a outra ou por motivos fúteis, e com elas parece que elas realmente se tornaram amigas e sabem trabalhar em grupo.

Com algumas semanas elas podem se tornar realmente a melhor girlband que o programa já teve.

Frankie Cocozza – “The A Team” (Ed Sheeran): PQP, eu AMO essa música (vejam a versão original, o clipe da música é de cortar o coração) e representa bem o tipo de música que o Frankie vai fazer, cantou bem já que a música não exige tanto vocalmente e tenho a impressão que ele nunca será desafiado vocalmente já que Gary tá quase beijando o chão que o Frankie pisa. Achei que ele pecou e muito na entrega… Ele simplesmente cantou, não passou a mensagem da música. Pode ter sido meu desdém por ele que interferiu neste julgamento, mas whatever, não tive interesse algum em assistir novamente para ver se estava errado.

Sophie Habibis – “Teenage Dream” (Katy Perry): Segunda vez que irei comer minhas palavras neste post. Estou gratíssimo por Sophie estar nos Live Shows, não acreditava que ela daria tão certo e realmente, Kelly montou o time perfeito.

Putz, quem diria que Sophie seria capaz de pegar uma música da Katy Perry e fazer uma versão imensamente mais bela?

Sério, ela me deu arrepios com essa apresentação e admito com certa vergonha que fiquei que nem a Kelly “orquestrando” com lágrima nos olhos. E algo totalmente idiota, mas adorei a Kelly sutilmente dando o sinal para Sophie arrumar o vestido e evitar mostrar mais do que deve.

Jonjo Kerr – “You Really Got Me” (The Kinks): Jonjo tinha a voz e o makeover que o deixou bem mais apresentável a seu favor, mas essa song choice absurda e apresentação só não foi mais horrível do que o Johnny.

Decepção nem começa a cobrir o que estou sentindo… Esperava algo como Adele, “Colors” do Amos Lee, Norah Jones, Daniel Merriweather…

Mesmo a song choice sendo do próprio Jonjo, Louis deveria ter batido o pé alertando que a performance estava caminhando para o desastre.

2 Shoes – “Something Kinda Ooooh” (Girls Aloud): Song choice idiota, assim como todo o conceito da apresentação…

Eu teria escolhido “Hit’em Up Style” (Blue Cantrell), “Peacock” (Katy Perry), “I Do Not Hook Up” (Kelly Clarkson) ou algo da The Saturdays.

Vocais meh, elas já fizeram melhor… E a morena com batom borrado pelo rosto e ninguém avisando a coitada foi uma ótima homenagem à Haley Reinhart haha

James Michael – “Ticket To Ride” (The Beatles): Mataram um poodle e colocaram na cabeça dele?

Boa song choice e gostei do arranjo mais intimista. O vocal foi 8 ou 80… Teve momentos que adorei, mas teve momentos em que ele não conseguia sustentar a menor das notas e isso é preocupante.

Misha B – “Rolling In The Deep” (Adele): Alguém mais está sentindo uma vibe meio Cher Lloyd e Danyl Johnson da Misha? Essas roupas e atitudes exageradas estão me dando uma vibe de que ela está ficando meio arrogante, em algumas semanas chegarei a uma conclusão final…

Não gostei do rap, pois acho que rap/remixes e músicas de cantoras como Adele são como água e óleo, não se misturam e devia ser considerado crime fazer algo do tipo. Sim, serviu para dar um diferencial, mas é a velha síndrome da Cher… Vai querer fazer algo diferente e vai acabar fazendo um rap em toda música.

Vocal foi forte, mas em vários momentos ela forçou um pouco demais, ela precisa conhecer melhor seus limites vocais.

Nu Vibe – “Beautiful People” (Chris Brown): Minhas reações de acordo com John Krasinski e Wilhelmina Slater.

Keep walking, keep walking…

Marcus Collins – “Moves Like Jagger” (Maroon 5): Outra bola fora na song choice, mas acho que a maior razão de não ter gostado é por não gostar nem da versão original…

Vocal foi bom, energia estava legal, mas esperava bem mais dele como performer… Ele parecia assustado e travado em vários momentos.

Se a performance dele tivesse sido visualmente como essa do The X Factor Australia há algumas semanas atrás eu estaria extremamente feliz e não temendo pelo Marcus.

Sami Brookes – “Free” (Ultra Nate): Odiei a song choice e odiei a roupa dela… Louis e a produção estão se esforçando bastante para torna-la mais velha do que ela realmente é…

Eu teria escolhido algo da Adele, Kylie Minogue, “Empire State Of Mind” da Alicia Keys, “The Scientist” do Coldplay, “Fighter” da Christina Aguilera ou “Nicest Thing” da Kate Nash… Qualquer uma dessas opções teria sido melhor com um tema tão abrangente.

Deixando song choice e guarda-roupa de lado, Sami aproveitou ao máximo o material que lhe foi dado, entregando um dos melhores vocais.

E adorei que ela deixou bem claro que trabalhará duro para ganhar a competição.

The Risk – “She Said” (Plan B): Por um momento pensei que eles estavam cantando “Mama Do” da Pixie Lott, pensando bem, eles poderiam ter feito um mash-up já que as músicas são semelhantes melodicamente.

Minhas expectativas foram atingidas com esse grupo remendado, Tulisa realmente reuniu os melhores dos outros grupos.

A song choice me dividiu, em partes eu achei divertida, porém a música tem um feeling meio datado para uma primeira performance… Gostaria de vê-los cantando algo com uma vibe mais contemporânea.

Boas harmonias e o importante para esse grupo dar certo é não centralizar tudo em Charlie… Todos mostraram o seu papel no grupo e prevejo que serão o grupo que irá mais longe na competição.

Gente, imagina se a Tulisa tivesse sido mentora do JLS!!! Eles já eram ótimos, teriam sido brilhantes com ela como mentora.

Craig Colton – “Jar Of Hearts” (Christina Perri): Craig me ganhou de vez, ele está trabalhando duro para se parecer mais com um artista, sua perda de peso me surpreendeu e sua decisão de escolher a música e o arranjo sem a ajuda de Gary foi algo extremamente arriscado de se fazer logo na primeira semana.

Song choice não é a minha preferida, já que é uma música que prefiro escutar em vozes femininas, mas a entrega dele me arrepiou em vários momentos.

Melhor de sua categoria sem dúvidas.

E estou com a Kelly, vontade de jogar algo no palco e gritar “SING BOY!!”.

Kitty Brucknell – “Who Wants To Live Forever” (Queen): Kitty me deixa confuso, eu gosto e acho ela irritante ao mesmo tempo.

O que gosto nela é sua ambição e coragem de ir ao extremo para chamar atenção, mesmo que isso lhe renda mais haters do que fãs.

Performance mais dramática impossível com um vocal ótimo, gritado demais em partes, mas ótimo.

E concordo 100% com Tulisa, o problema da Kitty é que ela é bem complexa, pessoas irão entende-la ou odiá-la, mas ninguém pode negar que sua performance foi estranhamente cativante. E como Gary disse, ela precisa se preparar, pois sua jornada não será fácil (acredito que será pior do que a jornada da Katie Waissel em termos de ódio do público, ameaças de morte e afins.

Janet Devlin – “Fix You” (Coldplay): Com essa makeover ela poderia interpreter a Jayma Mays durante a adolescência.

Performance que me deixou confuso, teve momentos que torci o nariz, que quase me fez chorar (no bom sentido) e momentos nem cá nem lá.

O vocal, principalmente no começo, estava bem desafinado, mas assim que ela entrou no tom ela começou a me emocionar… Daí comecei a me incomodar com a falta de pronunciação, me emocionar novamente e no final faltou um gás na performance e fui ficando levemente entediado.

Janet realmente me deixou sem saber se amei ou se achei apenas mais ou menos.

E aí, foi ou não foi o melhor primeiro Live Show que já tivemos?

Quando vi que o twist era a eliminação de um membro de cada categoria pensei que era uma ideia fantástica, agora eu não tenho mais tanta certeza… Ao mesmo tempo que é um twist interessante, significa que teremos pelo menos uma injustiça na categoria da Kelly, já que se baseado no voto popular, dificilmente Kelly perderia uma pupila nas 4 primeiras semanas com Johnny, Nu Vibe, 2 Shoes, Frankie, entre outros para serem eliminados antes.

Previsões pré-Live Show: Rhythmix, Sami ou Jonjo (nunca que Louis eliminará Johnny ou Kitty), James ou Marcus e Sophie.

Previsões pós-Live Show: Nu Vibe, mas eliminar 2 Shoes também é uma opção, principalmente com uma delas grávida;  Jonjo; James ou Marcus… Com as garotas é realmente complicado, todas foram ótimas…

Sophie foi minha favorita com aquele vocal delicioso e Amelia me surpreendeu sendo mais rocker e é a garota mais comercial em minha opinião. Misha está caindo no meu conceito com seu jeito levemente arrogante e Janet está se resumindo a uma Diana Vickers 2.0 que provavelmente não mostrará muita diversidade.

Se eu fosse a Kelly teria entrado em colapso nervoso com essa decisão, mas eis o que eu faria…

Sinto que Sophie e Amelia precisam da competição para se desenvolverem e ganharem mais experiência de palco e se  autoconhecerem como artistas, então eu eliminaria Misha ou Janet com a promessa de usar contatos para garantir que elas tenham uma chance de começarem uma carreira.

Misha é bem o que está pegando fogo na indústria no último ano e sua maturidade e experiência estão além de sua idade, e com Janet ela já tem um estilo diferente que já é possível direcionar para um mercado meio indie/pop ou nos moldes de The Civil Wars, KT Tunstall e Ingrid Michaelson.

Meus favoritos da noite foram Sophie e Craig.

E continuarei a tradição de escolher músicas que eu gostaria de cantar caso estivesse no programa.

James Morrison – “I Won’t Let You Go”, Paolo Nutini – “New Shoes” ou “Rewind”, Jessie J – “Who You Are” ou “Damaged” do Shane Mack.

Eliminação

Tivemos a apresentação do Cee Lo cantando um medley de “Satisfied”/”Forget You” e o meu querido Matt Cardle com seu single “Run For Your Life”. Estou com uma dó extrema do futuro do Matt, ele claramente está sendo negligenciado pela gravadora e management, com o primeiro single sendo lançado no final de Agosto, mas sendo posto à venda apenas em Outubro… Tipo, WHATAFUCK??? Ele vai se tornar o Lee DeWyze do UK e tipo, NÃO PODE!!!

Coloquem a carreira dele nas minhas mãos que pelo menos eu me mataria para fazer com que ele tivesse uma chance de sobreviver na indústria e não se tornar o próximo Joe McElderry ou Leon Jackson (exato, Leon WHO??? E olha que o cara ganhou).

Eliminações foram bem previsíveis, mas angustiantes ao mesmo tempo…

Jonjo, por pior que ele tenha sido, merecia mais uma chance já que em minha opinião ele tinha a segunda melhor voz de sua categoria. James não foi grande coisa, mas pelo menos ele se arriscou mais do que Frankie, Nu Vibe deveria ter sido eliminado baseado naquele desastre e pela vibe One Direction que estou recebendo deles, e Amelia não merecia ser eliminada tão cedo, ela tinha tanto potencial… Mas ao mesmo tempo, nenhuma das garotas deveria ter sido eliminada tão cedo…

E gente, Amelia ficou puta da vida ou foi impressão, ela nem deu um abraço na Kelly, simplesmente saiu do palco com a Kelly correndo atrás. Puta da vida ou não, dou razão.

Só para constar, na primeira eliminação eu já estava assim:

No final de tudo já estava assim:

Comentem, chorem, xinguem… Mas antes, um bônus do Matt Cardle cantando no The Xtra Factor.

Preciso dizer que adorei essa música?

Obs: Gostaram do post único com performances + eliminação ou preferem posts separados?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: