Review: True Blood 4.01 – “She’s Not There”

E eis que começa uma nova temporada de True Blood. Depois do final simplesmente bisonho da temporada passada, eu estava sem expectativa NENHUMA pra essa 4ªtemporada. A série virou um carnaval no seu season finale, com wiccas, panteras (??), fadas e ah sim… vampiros. Fiquei na esperança da coisa não piorar e se estabilizar um pouco mais agora.

Pois veja bem… você nem sempre pode ter o que você quer, não é mesmo?

Eu já comentei aquela cena inicial bisonha uns posts abaixo e sinceramente, não estou muito a fim de comentar de novo. Eu me senti quase ofendido com tamanha tosqueira. Atuações no modo full retarded, Anna Paquin claramente constrangida por tudo aquilo, frutas brilhantes e fadas a la Convenção das Bruxas que disfarçam suas formas horrendas em belos rostos. Isso porque eu nem comentei a batalha de hadoukens entre os seres. Oh Lord…

Enfim, fora esse momento patético, o episódio foi menos desastroso do que eu esperava. Achei legal o fato de ter passado um ano na história, considerando que as três temporadas anteriores tinham acontecido num intervalo de meses (lembrando que a primeira cena de cada temporada foi sempre a última da temporada anterior), é legal ver a história se mexendo e tudo mudando de fato… Bom, na verdade, a ideia foi bem legal, mas no fim das contas, ficou só na ideia mesmo. Apesar dessa passagem de tempo ter sido algo positivo, todos os personagens continuam tão desinteressantes quanto eram da última vez que os vimos. Sam continua insuportável, com aquela cara de mal amado, mal lembra o personagem bacana da 1ªtemporada.

Lafayette ainda está minimamente legal, pelo menos voltou a ter a personalidade forte de antes, só está no meio de uma subtrama absurdamente desinteressante (sério, ninguém merece aquelas bruxas). Tara… putz, o que foi aquilo? Ela tava merecendo morrer na temporada passada, mas nessa… Vale-tudo? Lésbica? Ok, bem válido ela querer mudar completamente de vida depois de tanto inferno em Bon Temps, mas mesmo com tudo isso, a personagem continua tão sem sal quanto antes.

Jessica e Hoyt tiveram sua ceninha de casal (bem sitcom, diga-se de passagem) mas até curti essa trama dos personagens, talvez porque Jessica, ao que parece, vai ser uma vampira old school, algo que está prometendo desde o final da 2ªtemporada. E com Pam dando conselhos pra ela, a coisa só tende a melhorar, afinal, Pam não mudou nada e bom… ela sempre foi excelente, não? De todos, o único personagem que realmente achei legal foi Jason. Foi no mínimo divertido vê-lo de policial, ainda mais tendo que lidar com o vício de Andy. Maaaas, eu dispensava fácil ele dando de comer na aldeia dos panteras. Certeza que esses bichos na série não vão prestar.

E como já tinha falado, além das panteras, também vão se aprofundar nas bruxas nessa temporada e na boa… que coisa mais whatever. Já não tinha gostado delas antes, gosto menos ainda agora. Simplesmente não consigo dar a mínima pra nada disso. Nem pros aparentes poderes de Lafayette, nem pra comunicação com os mortos, nem pra nada que mostraram do clã da Tia Petúnia. Mas tem um motivo pra isso…

Podem me chamar de chato, podem falar que não sabem porque eu continuo vendo a série, mas sim, eu me incomodo profundamente com toda essa salada que estão fazendo, essa pataquada de bruxas e panteras, porque eu virei fã de uma série de VAMPIROS. E eu quero a série de VAMPIROS da qual virei fã de volta. Estou me lixando pra Sookie voltando do mundo mágico das fadas, pra Sociedade de Transmorfos Que Atiraram no Familiar Anônimos, pra Tia Petúnia e suas amigas bruxas. Eu quero ver coisas como Jessica perdendo o rumo, Pam continuando a ser a bitch que sempre foi, Eric naquela cena excelente fazendo a propaganda do Fangtasia e é claro, o que me fez ter vontade de continuar vendo a temporada: Bill como o rei dos vampiros! Tanto por ser parte da trama dos vampiros quanto pela reviravolta inusitada, não teve como não lembrar dos bons tempos da série.

Bem, mesmo sem expectativa nenhuma, ainda achei esse episódio inicial da 4ªtemporada de True Blood bem fraco. Se pararem de perder tempo com essas mil tramas bestas e perceberem rápido o que realmente importa e é bom na série, focando ela num único ponto como era antes, ela tem tudo para voltar a ser o que era antes, porque, ao mesmo tempo que há várias coisas dando errado, o que está dando certo está MUITO bom. Só espero que Alan Ball siga o caminho certo…

Nota: 4

P.S.: Bebê-demônio, seriously?

One Response to Review: True Blood 4.01 – “She’s Not There”

  1. Rafaela disse:

    Apesar das criticas estou adorando e super ansiosa para assistir os novos episódios na HBO , mal posso esperar!!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: