REVIEW: American Idol 10.28 – Top 7 – Songs From The 21st Century

Depois de tantos pedidos para que os Idols cantassem músicas com um ar mais contemporâneo, a única forma deles realmente fazerem algo parecido é obriga-los com o tema da semana: Músicas do século 21. 

São 11 anos de músicas fantásticas, mas também são 11 anos de músicas péssimas. Quem se mostrará um artista contemporâneo pronto para fazer sucesso?

Mas antes de começarmos de fato a noite de apresentações, as Pussycat Dolls Rejects e o tio bêbado retornam ao palco do Idol para “cantarem” “So What” da Pink.

Que droga foi essa? Se já aguentamos uma apresentação em grupo dos eliminados, isso significa que não precisaremos aturar isso na season finale, right? RIGHHHHHHHHHTTTTTTTT???? #Tortura

O mais hilário de tudo são os jurados fingindo saudades deles (OK, talvez isso seja sincero com a Pia), mas a cereja do bolo na questão da sanidade do Steven Tyler é ele dizendo “You just America think twice about their decisiooooooon!”, algo como “Vocês acabaram de fazer o país repensar nas decisões tomadas”. Aham Steven, agora toma seu remedinho com vodca e volta a dormir vai.

Scotty McCreery – “Swingin” (Lee Ann Rimes): Aêêê, essa é a semana em que os candidatos tiram sarro uns dos outros, e no caso de Scotty ele é zoado pelo modo como segura o microfone, como se fosse uma flauta.

Que escolha idiota, teria escolhido Lady Antebellum, Brad Paisley ou algo do tipo, mas o que eu espero ver ele fazendo algum dia, mesmo acreditando que essa espera será em vão, é vê-lo nos surpreender com algo totalmente diferente de country, seja rock, pop, polka, R&B, qualquer coisa menos country.

Os vocais estão  bons, mas é o mesmo das últimas 5 semanas… Parece que ele tem medo de se desafiar com músicas mais complexas para o seu vocal.

Steven quer que Scotty se movimente mais ou mostre mais versatilidade (não entendi ao certo com o temo “Boot scoot”. Jennifer elogia sua capacidade de contar a historia da música, mas concorda com Jimmy que é hora dele fazer algo fantástico, além de dizer que ele poderia ter escolhido uma música melhor dentre esses 11 anos. Randy diz que hora dos candidatos mostrarem quem realmente quer a vitória, diz também que foi uma apresentação que faltou ousada e que acabou sendo entediante. Introdução completa

Que surpresa, os jurados estão falando a verdade!!!

James Durbin – “Uprising” (Muse): Os comentários sobre James se resumem aquele pseudo rabo Na’vi, os gritos e o modo como ele as canta se inclinando para trás.

Posso declarar meu amor absoluto pelo James por ele estar cantando Muse e dizer que ele quer que tenha uma vibe pós-apocalíptica para a performance?

Posso assegurar a todos que Muse é extremamente foda de se ver ao vivo e que todos deveriam assisti-los pelo menos uma vez na vida. Certo @ZePicelli e @marcelogs?

James simplesmente entende o que é preciso fazer para se destacar na indústria, ganhando ou não ele fará sucesso.

Achei que ele começou a música num tom muito baixo para sua voz, logo melhorou, mas o vocal teve muitas notas desafinadas (principalmente quando ele entrou nas notas extremamente altas) ou que não foram atingidas.

Outro problema que tive é que ele não trouxe a dramaticidade no nível que a música requeria, coisa que o Adam Lambert e a Siobhan Magnus trariam sem dúvidas. Damn, agora quero vê-los de volta no palco do Idol fazendo A PERFORMANCE de “Uprising”.

Se ele tivesse entregado um vocal como o da semana passada nesta semana, seria a performance da noite sem qualquer duvida. Cantando bem ou mal, James continua sendo o participante mais interessante da temporada, mal posso esperar para escutar como ficou a versão em estúdio.

Jennifer acredita que essa será a melhor performance “teatral” da noite, diz que nunca o escutou cantar notas tão altas antes e que achou a apresentação extraordinária . Randy diz que gostaria de vê-lo seguir esse rumo quando o programa acabar e que acredita que essa será a melhor performance da noite. Steven diz para James ficar longe de seu armário e diz que foi ótimo. Introdução completa

Hmm, o visual ao vivo foi tão incrível assim que não perceberam a desafinação constante?

Haley Reinhart – “Rolling In The Deep” (Adele): Haley é basicamente a mais zoada pelos amigos. Os rosnados (o rosnado do Jacob e James são os melhores), a contante jogação de braços pro ar, uma “rixa” com Stefano, repetindo comentários várias vezes até que os outros percebam que ela falou alguma coisa (a imitação do James é awesome).

Caramba, Haley tem os colhões que faltam nos outros Idols…

Primeiro de tudo, cantar uma música que está fazendo sucesso agora nas rádios e ainda por cima de uma cantora como a Adele é algo muito estupido e corajoso, com tudo para ser um epic fail.

Mas incrivelmente Haley traz a emoção certa para a música e o vocal está melhor do que nunca (apesar de algumas breves desafinações).

Nunca imaginaria que Haley poderia seguir essa linha Adele, mas a paixão que ela entregou a música me faz crer que se ela conseguir lançar um CD, esse deveria ser o rumo de suas músicas.

Randy diz que Haley escolheu a direção musical perfeita e que foi uma apresentação ótima, apesar de ter desafinado brevemente. Steven achou que o começo foi lento demais (Err, já escutou a versão original? O começo tem que ser meio lento), mas que ela conseguiu entregar uma grande performance. Jennifer diz que é preciso ter muita coragem cantar uma música que esteja fazendo sucesso e que é preciso cantar tão bem quanto ou até melhor, e Jennifer acredita que Haley trouxe sua essência para a performance e em momentos fez com que JLo esquecesse que a música é da Adele. Introdução completa

Jacob Lusk“Dance For My Father” (Luther Vandross): O consenso geral sobre Jacob é que ele é uma grande diva com uma voz chorosa e dramática.

Jacob dedica a música para seu pai que morreu quando Jacob tinha apenas 12 anos.

Sério que essa música é de 2003? Sempre achei que fosse dos anos 80.

Enfim, é uma música que Jacob realmente se conecta tanto que o leva às lagrimas durante os ensaios.

Algo de muito estranho acontece no começo da música, os violinistas começam a tocar, mas ao mesmo tempo começa a tocar o que parece ser a intro da música da Haley. Toda essa confusão atrapalha Jacob, que acaba interrompendo brevemente a música, mas logo volta a cantar após arrancar o monitor da orelha (mais tarde Jacob explica que o monitor estava tocando uma bateria no lugar do que ele havia pedido).

Não é o melhor vocal do Jacob… Talvez o erro no começo da música somado com a emoção da música tenham sido demais para conseguir controlar seu vocal, que muitas vezes desafinou ou tremeu.

A música foi uma boa escolha, mas em minha opinião não serviu o proposito do tema, em mostrar que ele é capaz de ser um cantor contemporâneo viável.

Steven diz que Jacob o lembra do por que dele amar música. Jennifer diz que é difícil cantar quando uma música significa tanto para o artista, diz que emocionalmente foi perfeito, mas que é preciso ter controle de suas emoções e vocal. Randy concorda que foi perfeito emocionalmente, vocalmente diz que foi bom, mas não o entusiasmou e pede para que Jacob volte a se soltar completamente.

Discordo com Randy, quando Jacob se solta demais é quando ele entrega suas piores performances… Ele precisa de outro momento como “You’re All I Need To Get By”. Introdução completa

Casey Abrams – “Harder to Breathe” (Maroon 5): WTF a barba falsa que arranjaram e o teclado/flauta sendo passado de boca em boca, o legal do Casey é que ele mesmo se junta aos outros para falar “mal” de si mesmo. O vídeo de intro mais divertido da semana.

Escolha de música mais idiota da semana!!! É sério que Casey se vê cantando Maroon 5 no mundo real? Esperava algo mais na linha do Amos Lee, Ray LaMontagne ou até mesmo John Mayer.

Oh well, após essa semana estarei retirando minha torcida pelo Casey, ele não é o artista pelo qual me apaixonei…

Adorei que ele tenha feito a primeira parte da música apenas acompanhado de um violão, intimo, porém passando intensidade ao mesmo tempo.

Meu maior problema é que quando a banda entra, Casey não entrega a pegada que o Adam Levine traz a música, não tem o fator sedução.

O vocal que até então estava bom, começa a ficar levemente duvidoso quando ele começa a ir bater nas mãos do público, além de voltar a rosnar sem necessidade.

E  alguém mais teve vontade de entrar no monitor e dar uma porrada no Casey pela breguice que foi cantar as linhas finais na cara da Jennifer e ainda por cima beijá-la?

Ele precisa mostrar que salvá-lo não foi um erro…  Volte a fazer algo tão incrível quanto “Georgia On My Mind”.

Jennifer diz que Casey nao está jogando limpo e que ele tem lábios macios (¬¬) e diz ter adorado que Casey tenha transformado uma música pop em rock (sempre achei essa música mais rock do que pop). Randy adorou a surpresa e pede para que ele continue arriscando. Steven diz que ele é um herói cult (sabe-se lá porque) e depois é um grande branco de tanto palavrão que ele disse. Introdução completa

Stefano Langone – “Closer” (Ne-Yo): Stefano me lembrava do Joey de Friends com esse jeito meio bobão de ser. A grande piada é que Stefano se acha o pegador e a última bolacha do pacote. “Se dada à oportunidade, Stefano flertaria com um pedaço de papel”, Jacob diz.

Finalmente alguém fala pra ele parar com aquela de sofrimento enquanto canta.

Ótima escolha pro Stefano, ele têm a chance de mostrar um lado mais R&B contemporâneo e sensual (?), que é a linha que ele deveria seguir quando o programa acabar.

E ele finalmente domou as caretas e conseguiu até flertar um pouco com a câmera, com mais algum tempo ele se livrará daquela cara para sempre, pelo menos assim espero.

Vocal foi muito bom para uma música uptempo, mas teve seus momentos não tão agradáveis.

E essa roupa de go go boy hein? Camiseta e calça justa, suspensórios pendurados… Só falto um capacete amarelo pra completar o visual… Hehe

Randy confessa que esperava que fosse ser ruim, mas diz que Stefano fez um ótimo trabalho e diz que ele montou uma boa performance. Steven diz que Stefan fez um bom trabalho. Jennifer diz que em nome de todas as mulheres, que Stefano tem a pegada e que parecia com uma performance de verdade. Introdução completa

Lauren Alaina – “Born to Fly” (Sara Evans): Lauren é zoada pelo seu sotaque carregado e pelo fato de falar o tempo todo sem parar.

Jimmy aponta que o maior defeito da Lauren é a falta de confiança, tanto que ela fica extremamente intimidada quando Jimmy pede que ela cante para os produtores da Miley Cyrus. Ela devia ter esperado uns 2 anos para entrar no programa.

Lauren se diz intimidada pela competição, já que todos estão cantando notas loucas e ela é a única que não está.

Essa é a pior escolha de música da noite, sem dúvidas.

Ela devia ter escolhido algo da Taylor Swift, Lady Antebellum ou “Syrup & Honey” da Duffy.

Foi extremamente karaokê numa festa de debutante.

Steven diz que ela é natural e pede para que ela cante mais Allison Krause, Shania ou Faith Hill. Jennifer diz que ela possui um vocal colorido e pede para que ela tente ir à loucura com seus vocais em casa sozinha, para que ela conheça sua voz melhor. Randy diz que ela precisa acreditar em si mesma e se desafiar vocalmente, pois ela é capaz de fazer melhor. Introdução completa

Noite interessante, fiquei impressionado com a maioria das escolhas das músicas, mesmo sendo músicas do século 21, esperava músicas péssimas ou não tão atuais quanto as escolhidas.

Melhor da noite sem dúvidas foi a Haley, seguida bem de longe pelo James.

Piores da noite eu diria que foram Scotty e Lauren, mas eles não chegarão nem perto do bottom 3, que provavelmente será formado por Stefano (que pode cantar a Biblia toda lindamente que não adianta mais), Jacob e Casey ou Haley, no caso da Haley por não ter uma base de fãs não tão grande e fiel quanto dos demais.

Minhas escolhas para essa semana seriam algo do James Morrison, “Chasing Pavements” (Adele), “Best Of You” acústico (Foo Fighters), “Nicest Thing” da Kate Nash, “Somewhere Only We Know” ou “Spirallin” do Keane, “Walk On”, “Vertigo” ou “Elevation” do U2.

Tem muito mais, BEEEEM mais, mas é melhor parar a lista por aí mesmo.

Até a próxima.

Crédito dos vídeos de introdução: MJSBIGBLOG

One Response to REVIEW: American Idol 10.28 – Top 7 – Songs From The 21st Century

  1. Jana disse:

    Olha..eu to completamente por fora de Idol já faz um bom tempo,mas dai o Zé falou “vc precisa ver a performance do James”, e here I’m , e OMG oq é esse show? ele por um acaso ta tentando atingir a msm nota q o vocalista do Muse, q por sinal eu tbm comprovei q é uma otima banda? o James canto incrivel,lindamente bem ! Só por essa tbm quero ser fã dele já haha… agora só preciso me atualizar dos fatos!! =)
    PS: Sorry pelo comentario aleatorio, mas foi mais forte que eu !!! rsrs

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: