REVIEW: American Idol 10.20 – Top 11 – Motown

Muito soul na semana Motown

Fundada em 1959, Berry Gordy fundou a Motown Records, que viria a ser um dos mais bem sucedidas gravadoras do mundo, além de ter tido grande papel na indústria da música ao revelar grandes nomes como Jackson 5, Martha & The Vandellas, The Temptations, Stevie Wonder, The Supremes, entre muitos outros; mudando para sempre o mundo da música.

Casey Abrams – “I Heard It Through the Grapevine” (Marvin Gaye): Kuk Harrell, produtor, o aconselha a não forçar tanto os vocais para diminuir os grunhidos e desafinação.

Gostei da escolha da música, mas queria que ele tivesse escolhido algo mais introvertido que focasse em seus vocais, algo como uma versão acústica de “Hello” ou “Cruisin’”.

Muito melhor do que a semana anterior, mas o lado Taylor Hicks dele está começando a me irritar, assim como os grunhidos/rosnados/seja lá o que for. Quero que por uma semana que seja, ele sente, não se mexa, somente mostre quão boa sua voz é e sem ficar colocando os grunhidos no meio da música.

Steven diz que Casey é o perfeito entertainer, afinação perfeita e que seu ego é loucamente fora de controle (no bom sentido). Jennifer acredita que nao há ninguém na indústria como ele atualmente, e que ele pode se sobressair por isso. Randy diz que Casey é sempre original e que ele nunca faz um cover sem colocar sua marca.

Thia Megia – “Heat Wave” (Martha and the Vandellas): Thia quer mostrar que consegue cantar músicas uptempo. Jimmy Iovine fica impressionado que ela cantou tão bem no estúdio.

Thia definitivamente é um robô de corda, os vocais estão sempre afinados mas não marcam por não ter uma emoção por trás da voz. Como Simon diria, é como “comer” água de almoço, vai te encher e deixar vazio ao mesmo tempo.

Há momentos em que ela parece tentar lembrar a letra da música. Cadê aquela garota das audições que tinha tanta promessa? Foi substituída por uma robô de concurso de beleza.

Jennifer acha que Thia só está começando a mostrar seu potencial e acredita que ela pode se soltar ainda mais, mas pede para que ela preste mais atenção ao significado das músicas e que se conecte mais. Randy diz o risco valeu a pena e acredita que ela pode se superar ainda mais. Steven se diz satisfeito (que critica construtiva hein?).

Jacob Lusk – “You’re All I Need to Get By” (Marvin Gaye): Jacob explica que o epic fail da semana passada se deve ao fato de não ter conseguido se escutar.

Jimmy acha que Jacob tem abusado demais das firulas nas ultimas semanas e que ele deve aprender a usá-los somente quando o momento pede.

Que diferença um pouco de controle vocal e das manias fazem… Jacob é simplesmente fantástico, ele deveria se segurar e não sair gritando mais vezes. A melhor performance dele sem duvidas.

Haha, Steven corre pro palco para abraçar o Jacob, além de chamá-lo de “Baby Luthor” (Vandross, não Lex Luthor haha).

Randy diz que essa é uma de suas melhores apresentações e que foi um verdadeiro profissional. Steven diz que Jacob se segurou e aproveitou cada momento, e dfine como lindo. Jennifer diz que ele fez o público implorar pelas notas.

Olha a vovó ficando com inveja do Steven e querendo um abraço também. Putz, Ryan começa a formar uma fila para o publico abraçá-lo.

Lauren Alaina – “You Keep Me Hanging On” (The Supremes): Uma das músicas “amaldiçoadas” do programa, pelo que me lembro, só o Blake Lewis cantou e sobreviveu a semana. Essa música só não deve ser mais amaldiçoada do que “Feeling Good”.

Adorei o começo da música, vocal sólido e ela estava bem segura no palco.

Se ela planejava andar pelo palco, ela ou os figurinistas deviam ter escolhido um vestido não tão longo, atrapalhou ela um pouco tendo que se preocupar em não pisar no vestido e tropeçar.

Acho que esse pode ser o começo do retorno dela.

Steven diz que foi lindo. Jennifer diz que trouxe vida para a música. Randy disse que a Lauren das audições está de volta e cheia de atitude.

Stefano Langone – “Hello” (Lionel Richie): Entrevista antes do video, a mae do Stefano cozinhou para todo o grupo e trouxe uma marmita para o Ryan comer no palco.

Eu jurava que ele iria cantar algo do Stevie Wonder… É um risco depois de o David Cook ter tido seu primeiro grande momento no programa com essa música.

Geez Stefano, tira essa cara de quem vai chorar.

Mais um vocal consistente, porém ficou meio brega e entediante como um todo, não teve a mesma emoção da semana passada. Teria sido melhor se ele tivesse cantado acompanhado apenas de um violão ou piano.

Essa semana tinha tudo para ele se colocar definitivamente entre os participantes mais fortes, mas acabou deixando a desejar.

Jennifer quer que ele cante como se estivesse contando uma historia e uma intensidade de quem teve seu coração partido, não a intensidade de quem quer somente cantar bem. Randy concorda e bate na tecla de que mais do que nunca ele deveria estar no ponto emocionalmente, o que não aconteceu. Steven diz que ele deveria ter tomado seu tempo com a música e pede para que ele se segure um pouco (provavelmente no mesmo sentido que pediram para o Jacob).

Gordon Ramsey fazendo cara feia depois de provar a comida da mãe do Stefano, fiquei com dó da mãe dele…

Haley Reinhart – “You Really Got a Hold on Me” (The Miracles): Objetivo da Haley é não estar entre os menos votados pela terceira semana consecutiva.

Haley precisa de umas aulas de como se portar no palco imediatamente.

O melhor vocal dela desde os lives shows, sem dúvidas. Ela ainda peca um pouco na conexão, mas ela finalmente conseguiu transformar potencial em algo concreto.

Adoro quando os “rosnados” dela se encaixam dessa forma na música. Se ela estiver no bottom 3 essa semana, vai ser muita injustiça.

Randy diz que o começo não foi tão bom, mas que a partir da metade, a Haley que eles aprenderam a amar estava de volta. Steven diz que essa é a Haley que queria desde que a conheceram. Jennifer diz que ela pode fazer qualquer coisa com sua voz, e que ela possui a voz com mais soul entre as mulheres.

Scotty McCreery – “For Once in My Life” (Stevie Wonder): WOW, Scotty consegue acertar a cesta de basquete jogando a bola da sacada da mansão (distancia consideravelmente grande).

Bom trabalho por terem transformado a música em algo country. Vocal consistente e não tão entediante e parecido com as performances anteriores dele.

Assim como a Haley, Scotty precisa aprender a se portar melhor no palco.

Steven diz que ele correu um grande risco que compensou. Jennifer adorou o fato dele ter feito sua própria versão, mas diz que não foi seu melhor vocal apesar de ter gostado . Randy acha que o ápice da música deveria ter acontecido um pouco antes, mas ainda assim aprova a performance.

Pia Toscano – “All In Love Is Fair” (Stevie Wonder): Jimmy Iovine diz que é hora de pegar o talento e as influencias da Pia e encontrar sua própria voz (demorou…).

Awn, essa música me faz lembrar que foi a primeira “cagada” da Katharine McPhee na 5ª temporada… Bons tempos essa temporada.

Vocal grandioso e impecável. A melhor vocalista entre as mulheres, e possivelmente entre o Top 11.

Pia teria sido um sucesso estrondoso uns 10 anos atrás, tenho dúvidas se ela pode ser uma artista contemporânea, pois já faz um mês de apresentações ao vivo e em nenhuma delas senti que poderiam ser performances do mundo real que fariam sucesso nos tempos de hoje. Ela possui o vocal necessário para ganhar, ela só precisa focar mais em se tornar uma artista mais atual.

E como já foi dito pelo Marcelo, Pia tem muita cara de quem vai acabar na trilha sonora de um filme do James Cameron, quem sabe Avatar 2 não acaba tendo Pia na trilha sonora?

Jennifer diz que foi tudo perfeito, mas quer que ela adicione mais dinâmica em suas performances (mais movimentos). Randy diz que Pia é fenomenal, mas pede que ela cante qualquer coisa que não seja uma balada, pois já está ficando cansativo (EXATO!). Steven diz que ela é a estrela mais próxima do universo American Idol.

Paul McDonald – “Tracks of My Tears” (Smokey Robinson): Eu queria muito que ele tivesse escolhido “Love Hangover” ou “Papa Was A Rolling Stone”.

Primeiro de tudo, não tem como comparar a versão do Adam Lambert com a do Paul, ambos tiveram visões e deram rumos diferentes em suas versões.

Paul deu uma vibe folk/rock para a música que ficou bacana, o vocal dele ainda não se recuperou por completo, mas ainda assim é um bom e sólido vocal. Eu meio que amei essa apresentação dele.

Ele fez bem em tocar um instrumento essa semana e não ficar andando feito uma galinha fugindo da panela pelo palco.

Randy confessa que ficou nervoso no começo da música, mas gostou da direção que a música tomou, além de ter adorado quando seus vocais atingiram um ponto mais suave e pede para que ele mostre mais disso. Steven adorou e disse que sua voz é bem diferente, da mesma forma que as vozes de Dylan e Willie Nelson são. Jennifer diz que tudo que ele precisa é um produtor que ele está pronto para lançar um álbum.

Naima Adedapo – “Dancing In the Streets” (Martha and the Vandellas): Acho tão estranho quando a Naima puxa o cabelo tão pra trás, me lembra de um alien…

Escolha perfeita para ela, vocais finalmente estão no ponto. A desafinação sumiu gente!!!

Adorei o lado africano que ela trouxe para a música, dou muita risada das danças WTF que ela faz…

Naima tem potencial para ser uma artista interessante e original na indústria.

Steven ressalta que Naima teve a ideia do arranjo e dança, diz que ela também é o pacote completo. Jennifer diz que Naima a deu os primeiros calafrios da noite e adora que ela sempre entrega algo a mais nas performances. Randy diz que toda sua apresentação foi bastante inteligente e adorou, comparou a uma fusão de Idol com So You Think You Can Dance.

James Durbin – “Living For the City” (Stevie Wonder): Damn you James, me lembrou da frustração que tenho com a Siobhan Magnus por ela não ter cantado uma versão completa dessa música no palco do Idol, me deixando somente com aquele gostinho de 30 segundos (aquele grito final virou até meu toque do celular).

Não tem muito o que falar, James é um gênio. O cara passou de um dos candidatos mais sem noção em termos de não saber como usar sua voz a um verdadeiro gênio que sabe controlar perfeitamente sua voz. A melhor apresentação dele em minha opinião.

Jennifer parece uma adolescente falando “OMG” e diz que é incrível vê-lo no palco. Randy diz que não gostou muito do começo, mas achou incrível quando ele deslanchou na música. Steven acredita que é preciso ser um pouco louco para fazer diferença no mundo e diz que James é exatamente isso.

Essa noite serviu pra compensar bastante o desastre da semana passada.

Os meus favoritos da noite foram James, Naima, Jacob, Paul e Haley. Pia e Casey fizeram um bom trabalho, mas no momento acho que ambos não estão se empenhando tanto quanto os demais para mostrarem versatilidade.

Se na semana passada eu tinha vários candidatos merecedores de um lugar no bottom 3, essa semana me faltam candidatos.

Mais uma vez eu quero Thia entre os menos votados, mas semana passada me toquei que ela deve ter uma grande base de fãs, por ter vindo do America’s Got Talent, então ela pode acabar escapando novamente de uma possível eliminação.

Acho que Casey pode estar em perigo, simplesmente pelo fato de ter sido o primeiro e eu ter me esquecido dele completamente ao fim do programa; Acho que Lauren pode estar em perigo pela falta de consistência nas semanas anteriores, o publico pode ter perdido um pouco de fé nela.

Não sei quanto vocês, mas por mais que a temporada esteja sendo consideravelmente boa, não me sinto emocionalmente investido com esses candidatos como me sentia em temporadas com a Brooke White, Carly Smithson, Michael Johns, Kris Allen, Katharine McPhee, Allison Iraheta, Adam Lambert, Chris Daughtry, Siobhan Magnus, Crystal Bowersox, Didi Benami, Lee DeWyze… Seria falta de carisma ou um star quality que está em falta neste grupo?

B3: Thia, Casey e Lauren. Se qualquer outra pessoa for eliminada no lugar da Thia, meu humor estará totalmente alterado amanhã.

Minhas escolhas para essa semana seria uma versão mais sombria de “Where Did Our Love Go?” (The Supremes) – e sem os “baby baby” a cada cinco segundos, “Hello” do Lionel Richie acompanhado somente de um piano, “What’s Going On” do Marvin Gaye começando à capella e depois acompanhado somente por um piano e um violino bem dramático, “Superstition” ou “Living For The City” do Stevie Wonder.

Sim, eu viajo muito pensando em como eu faria se estivesse no programa.

Até a próxima.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: