REVIEW: American Idol 10.16 – Top 13 – Personal Idol Week

Primeira noite de apresentações do Top 13 cantando músicas de seus ídolos, ou seja, eles podem dizer que qualquer um é seu artista favorito e cantar a música que quiser (mais uma chance de mostrarem o tipo de artista que pretendem ser e escolherem músicas contemporâneas). 

Jimmy Iovine e seu time de produtores (todos ganhadores de Grammy, de acordo com o Ryan) finalmente vão fazer valer seu salário ganho com Idol e trabalharam com os Idol wannabes para que as músicas tenham seu próprio toque especial, em vez de ser mais um cover qualquer.

O single aberração do auto-tune da JLo ficou em #1 no ITunes, parabéns para ela, meus pêsames para nossos ouvidos. Vamos parar de enrolação e ir para o que realmente interessa.

Lauren Alaina – “Any Man of Mine” (Shania Twain): Lauren diz que Shania é sua artista favorita, pois ela é uma lenda da música country e foi a primeira artista a mesclar country e pop. Lauren também quer ser uma diva country como Shania. Shania é diva country? Se eu tivesse que chamar alguém de diva country seria Dolly Parton…

Olha, essa é a única música da Shania que eu realmente conheço então não vou falar que existem músicas melhores dessa artista para ela escolher, mas eu vou falar que não gosto da música. É uma música divertida, mas acho que a música é muito uma nota só, no sentido não sair do lugar em questão de melodia ou de “ondulação” vocal.

Vocal foi bom, mas para mim não funcionou porque a música pede muita atitude, o que não teve nessa performance. Também prefiro ver alguém mais madura (madura não no sentido de idade, mas como pessoa mesmo. Exemplo: Allison Iraheta) cantando sobre o que a música fala, não consigo imaginar a Lauren dizendo para o namorado o que a letra da música diz.

Steven diz que escolha de música é chave, ele gosta da música, mas queria que ela tivesse arrebentado com a performance. Jennifer diz que a adora, mas diz que agora é a hora que a competição realmente começa e é preciso engatar a marcha e começar a mostrar evolução. Randy concorda e diz que foi bom, mas pede que ela faça escolhas que a desafiem mais.

Hmm, pela cara que Lauren fez durante as criticas, ela não sabe receber criticas muito bem… Só espero que ela saiba escutar e tornar as criticas em algo construtivo para futuras performances.

Casey Abrams – “With A Little Help From My Friends” (Joe Cocker): Mais um motivo para gostar do Casey, a primeira vez que ele escutou a música foi no seriado “Anos Incríveis”.

Jimmy Iovine diz que a música requer não só vocal, mas também físico e emocional e diz que é só ver Joe Cocker cantar essa música que é possível ver que ele está sentindo a música em todo seu corpo.

Casey continua ON FIRE!!! O cara simplesmente já está pronto… Ele pode lançar um CD e uma turnê que eu estaria lá esperando na fila.

Tenho a impressão que com esse tipo de músicas mais intensas, o vocal nunca será o dos mais limpos, principalmente quando ele entra naquela parte mais “grrr” em sua voz, mas é uma coisa que não me incomoda quando existe tanta conexão e esse tipo de entrega na performance. (Claro que também não quero um vocal horrendo… Vocês me entenderam, hehe). Ele é um dos raros candidatos que conseguem mostrar o tipo de artista que serão no mundo real, se adaptar ao que a competição pede e se divertir ao mesmo tempo.

Esperava uma música mais no estilo Ray Charles, mas foi uma grata surpresa, ao mesmo tempo que não foi TANTA surpresa assim.

Jennifer diz que em certo ponto agarrou o braço do Randy e disse “O que estou assistindo???”, e se disse surpreendida pela apresentação. Randy diz que Casey é inacreditável e excitante de se ver no palco. Steven diz que Casey é um arco-íris de talento.

Ashthon Jones – “When You Tell Me That You Love Me” (Diana Ross): Por favor, ela podia ter escolhido música mais BORING???

Tá certo, os jurados incessávelmente a compararam à Diana Ross na semana anterior, mas não funcionou… Não tenho certeza se ela é o tipo de cantora que incorpora aquele estilo Motown…

Vocal foi algo entre decente e vergonhoso, bastante karaokê… Quero vê-la cantando algo da Beyoncé ou Rihanna que tenha bastante estilo e que a desafie vocalmente. Já que na semana passada teve Phoebe na review, vou citar Chandler nessa “Could I BE more bored?”. Bottom 3 sem dúvidas.

Randy gostou e disse que viu ela crescendo como cantora (crescendo aonde?). Steven concorda com Randy e diz que ela tem muito mais a mostrar. Jennifer quer que ela cante músicas que engaje mais o público, a ponto de fazer com que comecemos a cantar junto com ela.

Paul McDonald – “Come Pick Me Up” (Ryan Adams): Paul é outro candidato que sabe quem é como artista e se diverte, mas essa performance não funcionou para o palco do Idol, provavelmente pela escolha da música.

O começo da música necessitava de um pouco mais de seriedade e momento, o que acabou sendo estragado pelo momento “Oi público, vamos bater um papo?” (Sério, ele precisa parar com isso), os gritinhos de “come on baby” durante a música foram meio broxantes também e o refrão não foi tão bom quanto poderia saber.

Se ele sobreviver, quero ver ele sentado, sem esses movimentos loucos e correndo pelo palco e simplesmente entregar um vocal sincero e limpo.

Steven adora a rouquidão na voz, diz para ele tomar cuidado com a afinação e pede para que ele encontre músicas que possa arrasar nos refrões (YAY, crítica construtiva do Steven – Tem sido raro ultimamente). Jennifer volta a dizer que Paul é único, diz que ele encantou o público e espera que o país entenda ele (BTW, ela não sabe quem Ryan Adams é – Que tal se todos os jurados escutassem os artistas originais antes do programa? Um pouco de lição de casa não faz mal a ninguém). Randy diz que após sua ultima performance, não foi a apresentação mais empolgante que ele poderia ter dado, mas continua o achando ótimo.

Pia Toscano – “All By Myself” (Celine Dion): Celine é a Idol da Pia, pois ela é bem família. (Hmm k então…)

Bom, quem leu as reviews do The X Factor, sabe que essa música é uma das minhas guilty pleasures favoritos, mas para uma semana como essa, em que ela poderia ter escolhido tanta música mais interessante, torci um pouco o nariz.

Deixando isso de lado, Pia mais uma vez faz um ótimo vocal, só não digo fantástico porque ela teve rápidos deslizes em dois ou três momentos da música. Emoção na dose certa, entrega ótima, ela vai ser a dark horse da competição.

“what does that mean?”

Jennifer se perguntava o que Pia poderia fazer para superar a performance da semana anterior, e diz que Pia a respondeu. Randy conta que sempre dizia para os candidatos não cantaram a santa trindade da música (Mariah, Whitney e Celine) se não tiverem voz o suficiente para tais músicas, mas diz que Pia tem a qualidade de atingir as notas altas sem nem pensar muito nelas, ótima performance. Steven diz que essa performance foi o conjunto de tudo que ela fez anteriormente, a deseja feliz dia das mulheres e diz que ela fez muitas mulheres (e homens) felizes com essa apresentação.

James Durbin – “Maybe I’m Amazed” (Paul McCartney): Eu jurava de pés juntos que James iria ser meio sem noção e escolher uma banda de heavy metal, já que li tantas matérias sobre ele sendo muito fã desse gênero. Mas não deixa de ser uma grata surpresa, a música tem potencial para mostrar um lado mais suave (não sei se essa seria a palavra certa, mas enfim, whatever).

Jimmy Iovine não sabia que existia gente com voz como do James por aí. Err, já ouviu falar de um cantorzinho que vem fazendo um pouco de sucesso chamado ADAM F***ING LAMBERT? Google it Jimmy.

Gente, que vontade de dar umas porradas no James por me fazer achar ele o cara mais insuportável da historia do programa e me fazer mudar de idéia. Por que ele não mostrou os vocais das duas ultimas semanas antes? Me digam?

Vocal forte, limpo, controlado, emoção e entrega no ponto, personalidade no ponto (não foi irritante essa semana), falsete bonito. Droga, se ele fizer mais uma performance perfeita, vou mudar de idéia por completo e ai quem eu vu odiar com todas minhas forças? Ninguém? Not a choice…

BTW, achei melhor que a versão da Crystal Bowersox, ela teve bastante paixão, mas pecou muito na afinação. Já o James fez tudo na dose certa. Quem diria que eu iria preferir algo do James em vez do da Crystal. #2012

Randy diz que James é um de seus favoritos, ama a voz e ama ainda mais o fato dele cantar Paul McCartney e arrasar da mesma forma que arrasou na semana anterior. Steven, sinceramente não entendi o que ele quis dizer com o comentário, mas foi um elogio foda. Jennifer diz que James tem uma qualidade que os melhores rock stars possuem, ser melódico.

Haley Reinhart – “Blue” (LeAnn Rimes): Haley justifica sua escolha, pois a música a lembra de sua infância.

OMG, como ela conseguiu ir de ótima a ruim em poucas semanas eu não tenho idéia… Tinha tanta esperança dela ir bem durante as audições…

Música totalmente entediante, a performance não sai do lugar, vocal é só OK, melhor do que escutar ela cantando “Fallin’”, que foi um completo desastre.

Steven diz que foi lindo e que é possível ouvir o resto do país ovacionando. Jennifer acha que o país está podendo conhecer a verdadeira Haley e diz que ela faz coisas com sua voz que são bastante especiais. Randy diz que Haley pode fazer de tudo, mas achou entediante a ponto de dar sono, Randy também levanta o ponto dela cantar um gênero a cada semana, sem mostrar indícios de ter um gênero especifico.

Jacob Lusk – “I Believe I Can Fly” (R. Kelly): Argh, odeio essa música… Não consigo acreditar que R Kelly seja o artista favorito dele com tantos cantores desse estilo mais interessantes. Esperava algo do Stevie Wonder ou Ray Charles, por exemplo.

O vocal continua belíssimo, emoção no ponto certo. E gente, e esse “I can flylylylylylylylylylylyly” que durou eternamente? Meu momento favorito da música. O controle vocal dele nunca falha em me impressionar.

Steven diz que não pode nem julgar de tão bom que foi. Jennifer diz que Jacob traz muita emoção a quem o escuta cantar e diz que ele está no topo da lista de melhores cantores. Randy diz que a voz dele é reconhecível em qualquer lugar, diz que ele desafinou um pouco, mas acertou todas as notas altas no final.

Thia Megia – “Smile” (Michael Jackson): OK, ela é fã do MJ e nem escolhe uma música original dele? Broxante isso…

OMG, Thia não conhecia Charlie Chaplin!!! E ainda erra o nome dizendo Charlie Chapman… #OhBabyGirl…

Não gostei do começo, parecia que ela estava fora de sincronia com a banda. WHATAHELL esse arranjo??? Ela pelo menos leu e entendeu do que a música se trata? Odiei esse arranjo “bonitinho, animado, vamos dar as mãos e sorrir pelo mundo”. Essa música é tão boa quando cantada com emoção, um desperdício…

Randy adorou a introdução da música, disse que ela desafinou um pouco, mas se recuperou no final – Randy prefere o começo ao resto da música. Steven concorda com Randy, mas diz que ela terá um futuro (Parece comentário para quem vai ser eliminado…). Jennifer diz que o começo da música parecia muito com o começo da música da semana anterior, achou o arranjo “interessante”, mas diz que ela canta como um anjo e nada mais importa. Possivelmente um bottom 3 aqui.

Se Thia sobreviver, ela precisa escolher material mais contemporâneo ou que mostre um lado mais jovial. Ela não vai conseguir nenhum fã novo com essas escolhas maduras demais para sua idade/personalidade.

Stefano Langone – “Lately” (Stevie Wonder): Adorei a escolha da música, uma das minhas favoritas do Stevie.

Adoro quando a voz dele tende mais pro lado soul, vocal num geral foi muito bom, mas odiei com todas minhas forças esse arranjo disco ridículo. Arranjos como esse e da Thia destroem todo o sentido da música. Com um arranjo normal, a performance teria sido uma das melhores da noite.

Steven diz que foi muito bem executado, mas o arranjo foi louco. Jennifer diz que a apresentação fez ela dançar um pouco e adora o fato dele não ter feito uma cópia do original. Randy diz Stevie teria ficado orgulhoso da performance.

Stevie Wonder teria corrido pra dar uns tapas na cara do Stefano por esse arranjo.

Karen Rodriguez – “I Could Fall In Love” (Selena): Sinceramente, desde as semifinais só consigo imaginá-la cantando no Raul Gil.

A voz é agradável, mas não tem nada de excitante, interessante ou relevante para o que temos na indústria atualmente. Ela vai ser eliminada em até três semanas, acho difícil ela durar mais do que isso.

Jennifer diz que sentiu que Karen estava desconfortável com as notas altas (Karen diz que não estava conseguindo se escutar durante a música, o que normalmente prejudica mesmo o resultado final), mas diz que ela é uma das garotas mais fortes. Randy sentiu que Karen parecia lutar com a música, diz que foi entediante e pede algo mais excitante dela. Steven concorda com todos e diz que faltou energia.

Scotty McCreery – “The River” (Garth Brooks): Scotty tem sido bem inteligente desde a última rodada em Las Vegas, e essa semana não é diferente. Ele sabe o tipo de cantor que ele é e não vai comprometer sua visão.

Preferi o vocal da semana passada, mas não que o dessa semana esteja ruim, longe disso. Vocal continua bom, não é uma voz que eu compraria o CD e ficaria escutando toda semana, mas tenho certeza quem alguém compraria e escutaria todo dia.

Randy concorda que não se deve mexer num time que está ganhando, elogia a escolha da música, diz que ele é exatamente quem deveria ser e pede para que ele não mude. Steven diz que Scotty fez justiça à Garth Brooks. Jennifer diz que ele está evoluindo como performer e que ele está levando a audiência em uma jornada quando canta.

Naima Adedapo – “Umbrella” (Rihanna): Rihanna? Nunca que eu imaginaria a Naima cantando essa música.

Hmm, ela está trabalhando com o mesmo produtor que trabalhou com Rihanna na música. Jimmy Iovine acha que com essa performance ela poderia ir direto para o Top 5.

Não posso dizer que Naima não foi a mais contemporânea da noite. Adorei todo o visual da performance, a dança, a chuva e os trovões, bem The X Factor.

O vocal sofreu com todos os movimentos, o rap foi uma desgraça e não consegui entender uma palavra do que ela cantou durante ele. Mas no geral, foi bastante interessante, consigo imaginar isso no mundo real. Não sei direito se gostei, mas dou o titulo de mais interessante da noite. Pelo menos ela tentou algo diferente.

Steven diz que ela é talentosa, o vocal foi um pouco desafinada, mas diz que ela trouxe o sabor para a noite. Jennifer diz que ela fez o que artistas contemporâneos estão fazendo e diz não se importar com as desafinações. Randy discorda da JLo e diz que afinação é importante e que ela precisa aprender a controlar sua respiração, mas gosta do ritmo reggae que ela deu à música.

Olha, semana passada eu estava num lugar totalmente negro e sem esperança com as eliminações da Kendra e do Tim (#StillMissYouGuys) e não colocava tanta fé nesse Top 13, mas até que fiquei ligeiramente surpreso.

Obviamente, os melhores da noite foram Casey, Pia, James e Jacob. Paul precisa aprender a escolher músicas que funcionem em seu estilo e funcionem para o palco do Idol, caso contrario ele irá embora mais cedo do que deve.

Stefano precisa aprender quando um arranjo funciona ou não para a música, Lauren precisa escolher músicas que a desafiem vocalmente e Naima precisa aprender a mesclar melhor música e performance.

Karen e Haley acho que são casos perdidos e podem ser eliminadas juntas nessa primeira noite de resultados do Top 13 que eu não me importaria nem um pouco, menos lixo para escutar na próxima semana. Colocaria a Thia junto com elas, mas tenho um pouco de esperança por ela ainda.

Aposto minhas fichas num bottom 3 contendo Ashton, Karen e Thia/Paul, com Karen sendo eliminada. (Fique claro que apesar da review estar um pouco atrasada, só assistirei as eliminações pela manhã).

Vou continuar com aquele “O que você cantaria” que comecei nos posts do The X Factor. E sem sombras de dúvidas teria escolhido “This Boy”, “Once When I Was Little”, “You Make It Real” ou “Save Yourself” do James Morrison, nessa exata ordem. Simplesmente adoro James Morrison, seria o tipo de artista que eu gostaria de ser, caso eu tivesse o essencial… hauahuah

Se eu não pudesse cantar James Morrison, provavelmente escolheria “Nicest Thing” da Kate Nash, “Rose” do Matt Duke ou “Who Knew”, “Family Portrait”, “Please Don’t Leave Me” ou, a minha favorita, “Fucking Perfect” da Pink.

Adoraria ensaiar sem cantar o “fucking” e na hora de cantar ao vivo incluir sem que os produtores soubessem.

Até as eliminações.

3 Responses to REVIEW: American Idol 10.16 – Top 13 – Personal Idol Week

  1. Marcelo Silva disse:

    Primeiro de tudo, excelente a ideia do “o que eu cantaria”, não lembro disso dos reviews de X-Factor, hehe. Mas antes de fazer minhas escolhas…

    Tava falando com o Zé, cara, to empolgadíssimo com essa temporada, talvez porque não esperava nada dela e acabou superando expectativas ou porque de fato está excelente. Não apenas pela bancada de jurados, (pois todos estão mandando muito bem, ok, nem sempre as críticas são exatamente construtivas, mas quando em qualquer reality show todas as críticas da bancada foram geniais?) mas todos os candidatos parecem ter algum talento especial, uma energia inexistente na temporada passada, que eu nem aguentei ver inteira. Sem contar que mesmo o piorzinho do top 13 não é nenhum Tim Urban ou Sanjaya. Enfim, sobre meus favoritos:

    Cara, desisti de odiar o James, sério ,ahsausahsausahua. Acho que vc sabe que música pra mim é quase que exclusivamente rock (com algumas exceções, hehe), então como exatamente eu vou odiar um cara que me traz Judas Priest em uma semana e Paul McCartney na outra? E “Maybe I’m Amazed” foi fácil a melhor performance dele até agora. Se portou como um verdadeiro rockstar, sem grandes exageros na performance e sabendo equilibrar perfeitamente os agudos. O grito veio no momento perfeito da música, foi excelente. Espero que continue com essas boas escolhas, hehe

    Jacob é um dos meus early favorites e putz, incrível como a voz dele vai longe. Tava até falando, acho que não vejo um candidato com uma voz tão cheia de potencial e tão perfeita tecnicamente desde a Melinda na 6ªtemporada, ele acerta todas as notas, vai de um ponto a outro, com perfeição. E achei muito foda na semana passada quando ele apontou pro céu quando o Steven perguntou de onde vinha tanta força, hehe. Acho a música que ele escolheu MEGA-cafona, mas putz, ficou fantástica.

    Lembro de um coment seu no X-Factor falando de uma mulher feita pra cantar em filme do James Cameron. E eis que temos Pia Toscano, prontinha pra se entregar a toda a cafonice exigida para a música de Avatar 2. Acho a voz dela simplesmente hipnotizante de tão boa, mas acho que ela vai ser uma daquelas candidatas bem standard, só nos clássicos do Idol. Logo logo aposta em Hallelujah, hehe.

    Enfim, já fiz outro post aqui, vamos encurtar, hehe. Thia me deu calafrios de tão horrível que foi, achei legal o começo, normal, mas legal. Aí começa aquele arranjo MEDONHO e completamente nonsense, ela estava claramente desconfortável com aquilo, um lixo. Continuo odiando Stefano, sorry e o que foi a Naima com Umbrella? Apresentação completamente inusitada, mas curti, parecia apresentação ao vivo desse tipo de artista mesmo, com dança e tudo.

    Olha, malz MESMO pelo coment gigantesco, mas me empolgo falando de Idol, lembro de quando eu fazia os reviews, hehehe… Agora, o que eu escolheria:

    Yesterday ou Hey Jude, dos Beatles (pelo McCartney, beatle preferido, hehe), Black or White ou Man in the Mirror, do MJ (entra nas exceções, ele é ídolo, haha), One ou Walk On do U2 (pelo Bono, hehe), Bohemian Rhapsody ou Tie Your Mother Down do Queen. Ah,tinha mais, mas melhor calar a boca, hasuashasuahua. De novo, malz pela empolgação, hehe. E post ótimo, claro.

  2. Picelli disse:

    Não gostei da maioria e me decepcionei com alguns, tipo Lauren.
    Ela cantando Shania Twain foi a pior burrada do mundo que ela poderia ter feito. Essa música é um verdadeiro hino para as mulheres norte-americanas e ela, com o jeito teenager rebelde que tem, não possui bagagem e dramaticidade suficiente para fazer uma boa apresentação da músical
    A canção, como você mesmo disse, não é lá aquelas coisas (muito repetitiva), mas o que vale é a letra. Como ela não tem essa bagagem, a apresentação simplesmente não funcionou.

    Continuo torcendo o nariz para Naima. Tirando a história de que ela limpava privada, o que temos? Uma cantora que tem seus momentos. Só.
    Essa apresentação de Umbrella foi muito Vergonha Alheia. O que foi ela baixando o santo no palco com aqueles raios no telão? Só faltou o Padre Quevedo na bancada falando “Isso no ecssíste!”. Seria mais legal se ela soltasse uma versão tupiniquim da música – Embaixo do meu guarda-chuva uva uva uva, pera pera pera.
    Brincadeiras a parte. Ela estava confortável no palco. Seu conforto não fica bem aos olhos da platéia? Não, mas ela estava cantando como se estivesse sozinha no quarto. Cantando para ela e se divertindo. Mas os vocais deixaram a desejar. O legal das músicas da Rihanna é que ela está sempre ligeiramente atrasada em relação a melodia. Naima cantou certinho seguindo a batida, o que acabou parecendo alguém seguindo a bolinha da legenda do karaoke =/

    O Paul, vish.. gosto mas com ressalvas. Tipo, até o momento apreciei todas suas performances, mas todas com aquele sentimento de vergonha alheia. É como se exibissem um filme independente puta bom na tela quente. por mais que o filme seja ótimo, o público não saberá apreciá-lo da forma que deve.

    Casey continua excelente. EXCELETE! He did deliver! Mas preciso confessar que eu não consigo ouvir muito essa música. Por mais awesome que ela tenha ficado, o jeito que ele fala “friennnndddsss” me irrita de uma forma descomunal! hahahaha Mas isso não tira o mérito ou diminui a qualidade da música. Aliás, seu desempenho na versão estúdio foi ótimo! Realmente um true artist.

    Pia mais uma vez mandou MUITO bem. Ela surpreendeu novamente. Acho a música muito boring e tenho medo que ela vire uma Mary Byrne da vida cantando sempre o mesmo estilo. De qualquer forma, que vocal!

    E quem diria que o tão odiado James Durbin manteria o alto nível da semana passada? Essa performance foi tão boa quanto (se não superior) a da última semana. E também prefiro essa performance à da Crystal. Por mais que prefira Crystal como um todo, sua versão era muito monótona, sem muitos altos e baixos. Já essa de James foi mais trabalhada. Teve “início-meio-fim”. Começou serena, foi aumentando, chegou no ápice e encerrou de forma bacana. Ele esgoelou (hahaha) sem ultrapassar o limite do vergonhoso (como costumava fazer na hollywood week). Foi muito MUITO bom. Quase melhor que a versão da Jem.

    Agora o meu preferido da noite acho que foi Jacob. Não foi o melhor momento dele na competição (acho que ele na hollywood week, na primeira solo, foi mais arrepiante), mas meu! Ele fez essa música tediosamente batida que estamos cansado de ouvir em apresentações de power point parecer algo extremamente interessante! Esse lado de cantor de igreja é incrível de bom. O controle vocal dele é impressionante. E que legal que ele não tenta se segurar no palco ou se politizar. Me lembrou Adam desmunhecando sem medo em A Change’s Gonna Come. Meu, e aquele grito? GIRO, E AQUELE GRITO?! Sério, desde Paint It Black eu não ficava animado com um grito desconfortavelmente longo quanto esse! Hahahaha Esse é o típico grito que te faz passar por todos estágios de emoção. Começa interessante, aí ele começa a ficar longo e começa bater o desespero. Ele continua se prolongando e você diz “putz. vergonha alheia. será que tem alguém ouvindo? deixa eu abaixar o volume”, mas aí você percebe que ele continua seguri de si, que não desafinou e ele continua lá “flyyyYYYyyyYYYyyyYYYyyy…” e você pensa “ORRA! O-R-R-A!” Em suma, that was sick! SICK! =D Muito bom.

    Bem, o resto é resto.

    PLUS: SIOBHAN’S GIF? LMFAO!

  3. Will Takaezu disse:

    Realmente, voces dois comentando da uma review completa… hauahuah
    O que um deixa de fora do comentario, o outro vai lá e cobre… Ta perfeito isso… Vou tirar umas ferias e voces dois me cobrem, blz? hehe

    Marcelo, eu meio que concorda com voce na comparação do Jacob com a Melinda, MASSSSS…. Pra mim, Jacob nao chega aos pés da Melinda… hauhauah
    Melinda nao tinha a cafonice que o Jacob traz em certos momentos da música, ela sabia dosar o nivel de emoçao pra nao ficar uma coisa brega… E o vocal dela acho muito mais effotless do que o dele, dela nao lembro de ter ouvido uma nota desafinada, dele ja escutei umas q me fizeram torcer o nariz um pouco… hehe

    BTW, nao lembrava desse comentario do filme do James Cameron, mas enfim… Bem lembrado, Pia tem muito potencial pra ser trilha naqueles momentos “vamos morrer, vamos confessar/chorar/dar as maos”… e mano, se ela cantar “Hallelujah”, tinjo meu cabelo!!! de desgosto… ahuauah #Brinks

    Zé, acredita que não curti o estudio de ninguem??
    Me simpatizei com o do Casey, Jacob, Pia e James, mas nenhum me fez ficar com vontade de ocupar espaço no IPod e ficar escutando de novo…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: