REVIEW: HIMYM 6.07 + 08 – Combo II

Parece que está virando tradição. HIMYM tem intercalado seus bons episódios com episódios medianos. Foi assim há quatro semanas e agora, também, com os dois últimos. Concordam?

Nada de slutty pumpkin, nada de fantasias geniais, de um clima creppy ou sangrento. A série apresentou o episódio mais fraco de Halloween do ano. Diria até que estava mais para uma festa a fantasia do que Halloween. Deixando isso de lado, foi um episódio mediano, com uma Lily de certa forma apagada, um Barney se esforçando para aparecer atrás de uma filmadora portátil, um Ted que começou a empolgar com o cruzamento de seus dramas profissionais e amorosos. Não, a série não sofreu uma baixa no elenco. Deixei nossa canadense favorita e o controverso advogado para falar separadamente. Por que?

Bem… Por mais hilário que tenha sido o comercial de fraldas para adultos de Robin, esse desfecho não compensou toda a chatice que foi assistí-la durante o episódio todo. OK, não quero parecer insensível. Entendo seu drama e sua frustração no trabalho. Afinal, eu também não aguentaria trabalhar com aquele poço de entusiasmo. Sério, aquela Becky estaria dando pulos de alegria até no velório da própria mãe! Mas voltando a Robin, ela sofreu da maldição da série que se iniciou no 605 *bate na madeira*, que intercala episódios medianos com episódios bons.

Já com Marshall é diferente. Foi divertido vê-lo indignado com GNB, lutando contra os princípios da corporação e, principalmente, suas cenas com o sempre ótimo Randy. Mas o que teve de errado? Bem.  Nesse episódio nada. Mas o problema é que uma semana depois somos presenteado com um episódio completamente bem feitinho, digno da segunda temporada da série no qual levamos um balde de água fria ao descobrir que Marshall tem mentido para Lily o tempo todo sobre seus planos de deixar a GNB e ser o advogado que sempre sonhou ser.

Foi a maior contradição que já vi na série. Uma coisa é ele ficar mentindo para Lily sobre suas ambições profissionais, outra  é  mentirem para o telespectador ao mostrarem cenas nas quais ele de fato está indignado com os rumos de sua carreia (como vimos no episódio anterior). Qual é intenção de não mostrarem esse seu verdadeiro lado nas cenas na empresa? Aquela história de “estou fazendo isso para te mimar” não colou muito. Precisa vender a alma para mimar a esposa, Marshall? Se não fosse por esse “pequeno” detalhe, a trama do casal, assim como todas as outras em Natural History, teria sido perfeita.

Sim, perfeita. Todas as tramas foram agradáveis. Ted e suas rixas com Zoey, Lily e Marshall discutindo a relação no meio do evento e Barney e Robin que pularam da comédia para o drama em dois tempos. Foi uma surpresa atrás da outra. E hey! Olha o Barney, DE NOVO, surpreendendo as galere mostrando seu lado humano-não-mulherengo! Estou gostando muito dessas investidas nesse lado pouco explorado do rapaz.

Resumo da obra. Tudo o que faltou em Canning Randy foi compensado em Natural History. Concordam? Discordam? Gritem aí embaixo.

 

_____

Canning Randy 3/5
Natural History 4/5

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: