REVIEW: The X Factor 7.11 – Top 12 – Nº1 Singles

O momento que todos estavam esperando chegou!!! It’s Top 12!!

Meu apresentador favorito, Dermot O’ Leary abre o show e apresenta o painel de jurados reunido pela primeira vez essa temporada, Danni está linda, Cheryl aparenta estar nervosa (controvérsias da semana tiveram um impacto maybe??), Louis está sorridente como sempre e Simon está mais arrumado do que o normal.

Sem perder tempo, Dermot confirma os boatos da semana, cada jurado tem direito a um wildcard para levar aos Live Shows.

Para ser honesto, a única boa escolha foi da Cheryl, Treyc vem provando desde o começo que merecia um lugar no Top 12 e finalmente justiça está sendo feita.

Diva Fever fiquei feliz, mas não tenho grandes esperanças. Paije não consigo imaginar chegando muito longe. E Louis escolheu Wagner, em defesa de Louis, ele não tinha muita escolha né… talvez a Elesha…

O tema da semana é Nº1 Singles, dando ótima oportunidade de mostrar que os participantes serão relevantes no mundo real.

F.Y.D – “Billionaire” (Travie McCoy ft. Bruno Mars): Não é a música que eu teria escolhido para eles, não acho que esse estilo de música combina com eles.

Vocal foi bonzinho, nada de extraordinário, teve uma coreografia que mal foi mostrada, então nem deu pra ver se a dança pelo menos foi boa.

Louis gostou, mas acha que são melhores dançarinos do que vocalistas. Dannii gostou mas acha que devem dançar menos pois afeta os vocais. Cheryl discorda e quer mais dança e Simon se elogia pela escolha de música, diz que são relevantes e tem chance de emplacar.

No geral foi uma boa forma de abrir a temporada, mas poderia ter sido muito melhor com uma outra música. Nas últimas três temporadas, o primeiro a se apresentar no Live Show do Top 12 fica entre os 2 menos votados, acredito que os meninos correm risco de irem para casa, ainda mais por terem 15 concorrentes para se apresentarem ainda. Nota: 6.5

Matt Cardle – “When Love Takes Over” (David Guetta ft. Kelly Rowland): Hey, Matt ganhou uma camisa nova, um VIVA pro Matt!! Não esperava essa música e definitivamente esperava esse arranjo, esperava algo mais intimo e acústico.

Matt parece estar mais confiante, em partes seu vocal parece estar muito forçado, fazendo com que sua voz “quebre” um pouco, apesar disso consegue mostrar seu alcance vocal e diferentes partes de sua voz, seu falseto parece ter ficado mais forte.

Louis adora a performance e acha que ele é o real deal, Cheryl fala que sabe como Matt deve estar se sentindo no palco e não elogia e nem critica, Simon o acha genial e acredita que esta é sua melhor performance até o momento e que será um sucesso quando lançar um álbum e Dannii está orgulhosa de seu filhotinho por ser versátil e quer ver ele evoluindo cada vez mais. Nota: 7.5

John Adeleye – “One Sweet Day” (Mariah Carey): Louis pisou na bola com o John, escolheu uma música que muita gente não conhece e perdeu a chance de escolher algo que mostrasse John como um cantor relevante.

O vocal foi OK, não senti uma conexão entre ele e a música e o resultado foi uma apresentação entediante e karaokê.

Dannii gostou da paixão mas criticou a escolha da música. Cheryl gostou do vocal, mas não acredita que John deixou sua marca nela. Simon elogia o visual e o vocal, mas critica Louis por ter escolhido uma música que John não pudesse se mostrar relevante. Nota: 5

Rebecca Ferguson – “Teardrops” (Womack and Womack): Não gostei da música, não se encaixou na voz dela. Rebecca está mais confiante mas parece estar com medo de se mexer, a música pedia mais energia, coisa que Rebecca deixa a desejar aqui.

O vocal teve seus bons momentos, mas não via a hora de acabar de tão entediante que estava ficando.

Se Rebecca sobreviver, ela precisa dar um gás em suas apresentações, no momento to achando tudo muito parecido com o que ela já fez.

Louis a acha ótima e a compara com Norah Jones. Dannii ama a voz e quer a ver crescendo semana a semana. Simon acha que ela precisa mostrar seu lado mais alegre e acredita no potencial e acha que ela pode surpreender nas semanas que estão para vir. Nota: 6

Storm Lee – “We Built This City” (Starship): Se o Charada (Jim Carey) e o Duas Caras (Tommy Lee Jones) tivessem um filho, seria parecido com o Storm agora.

Gostei dele ter começado devagar e crescendo conforme a música progredia, o refrão poderia ter sido melhor sustentado. Vocal foi um dos melhores até agora, e tem potencial pra ser melhor ainda vocalmente.

Dannii elogia o vocal. Cheryl acha que seu visual, a música e a produção foi muita coisa para digerir de uma vez só, mas admira o fato de ele lutar pelo que quer. Simon acha q é muito 70s rock, gosta do vocal, mas continua não gostando dele. Louis, é claro, morre de amores pelo Storm.

Storm parece descontente desde que sua apresentação acabou, seria frustração por não querer cantar essa música? Nota: 7

Belle Amie – “Airplanes” (B.o.B ft. Hayley Williams): Ótima escolha de música e bastante potencial para serem fantasticas. Mas WOW, parece algo que veria durante a primeira rodada de ensaios, nervosismo super na cara e falta química entre elas.

Desastre absoluto.

Louis acredita no potencial. Dannii gosta da escolha da música, imagem e química. Cheryl não sentiu segurança e a química, mas gostou da escolha de música. Simon gosta do rap (que rap?? That girl can’t rap), mas nem ele convence muito que gostou da performance, apesar dos elogios. Nota: 4

Cher Lloyd – “Just Be Good To Me” (S.O.S Band): Cher começa mostrando estar mais forte e confiante, tem boa presença de palco. Não gostei da música, ela faz um rap no meio, mas no geral achei mais estilo do que substância.

Louis acha que ela tem uma presença de palco incrível. Dannii elogio seu controle do palco e diz que não conseguia desgrudar seus olhos da Cher. Simon a chama de estrela, genial e ama o fato dela ser imprevisível. Cheryl diz que ela exala star quality. Nota: 6.5

Diva Fever – “Sunny” (Bobby Hebb): E não é que foi divertido? Basicamente só um cantou, mas o vocal foi competente, não é nada contemporâneo e não é algo que se escutaria no rádio. Uh, performance tem direito até um strip no meio da música. Haha

Louis diz que eles trazem a diversão ao programa,. Dannii ama a apresentação. Cheryl compara a um vídeo de exercícios. Simon diz que o mundo se tornou entediante a cha que a indústria deveria ter alguém como eles. Nota: 6.5

Paije Richardson – “Killin Me Softly” (Roberta Flack): Gostei da música, começou bem e foi decaindo, desafinou várias vezes, principalmente quando começou a andar pelo palco. Foi muito inconsistente vocalmente, apesar da boa energia.

Louis diz que Paije merece estar de volta e o compara com Luthor Vandross, Cheryl gosta da paixão e acha que ele canta como uma diva. Simon se diz feliz por Dannii ter dado a ele uma segunda chance e Dannii está feliz de te Paije de volta. Nota: 5.5

Katie Waissel – “We Are The Champions” (Queen): Katie começa tocando teclado uma versão bem lenta da música, para mim funciona em partes. Vocal continua fraco, mesmo nos momentos calmos da músican, quando a banda entra, Katie é praticamente engolida por eles e mal consegue se fazer ouvir. Destaque para o visual Lady Gaga wannabe.

Louis diz que ela é mais estilo do que substancia e diz que a música é muito grande para ela. Dannii acha que o vocal foi bom, mas não gosta do visual. Simon ama o visual, a acha original e interessante, e a compara com Cindy Lauper (¬¬). Nota: 5

Mary Byrne – “This Is A Man’s Man’s World” (James Brown): Assim como sua audição, Mary entrega um vocal forte, emoção na medida certa.

Dizem que ela está com dor de garganta, se doente ela canta desse jeito, imagine o que pode vir a ser quando ela estiver saudável.

Ao final da apresentação, a audiência vai à loucura, o que leva Mary as lágrimas (algo que me lembra a primeira apresentação da Niki Evans).

Dannii acha que é um dos melhores vocais da história do programa. Cheryl acreditou cada palavra e emoção da música. Simon a acha fantástica e ama a escolha da música. Louis a chama de diva e está orgulhosíssimo dela. Nota: 8

Nicolo Festa – “Just Dance” (Lady Gaga): Quando vi a lista de músicas achei perfeito para ele, mas decepcionou. Vocal foi mais ou menos e não entregou a energia necessária, poderia ter sido bem divertido.

Louis gosta o fato dele ser diferente. Cheryl diz que não houve conexão e gostaria de ter visto seus olhos. Simon aprovou por ser diferente, mas diz que é melhor visualmente do que vocalmente. Dannii diz que ele foi ótimo. Nota: 5.5

One Direction – “Viva La Vida” (Coldplay): Não ficou tão ruim quanto esperava. Porém, não há química entre eles, as harmonias são meia boca em partes e não dá pra sentir que eles são um grupo ainda.

Louis diz que fizeram sua propria versao e que eles tem potencial para serem a próxima boyband de sucesso. Dannii ama a versao pop da música. Cheryl diz que parece coisa do destino eles estarem juntos, mas precisam de um pouco mais de tempo para se desenvolverem. Simon reconhece que os meninos começaram a errar no final, mas elogia o fato de Liam ter salvado eles. Nota: 6

Wagner Fiuza-Carrilho – “She Bangs / Love Shack” (Ricky Martin / The B-52’s): Só o fato do Wagner estar no Top 16 é uma palhaçada, agora junta essa escolha horrenda de música que fez tudo virar a vergonha alheia da semana.

O vocal não foi tão bom quanto o visto no Bootcamp e Judges’ Houses, mas ainda assim é muito ruim, não há nenhum sinal de dinâmica vocal, além de ser extremamente bizarro.

Dannii se sentiu entretida, mas enfatiza que a competição é para encontrar uma estrela da música. Cheryl acha tudo engraçado e por isso gosta dele. Simon diz que é uma das apresentações mais insana que já viu no programa. Louis diz que todos estarão falando de sua apresentação no dia seguinte. Nota: 2

Aiden Grimshaw – “Mad World” (Tears For Fears): Aiden está extremamente nervosa. Suas esquisitisses ajudam no começo da música, seus olhos de psicopata ajudam a entrar no clima da música, mas isso me deixa desconfortável. Aiden precisa controlar seu nervosismo urgentemente, não é sua melhor apresentação. Em alguns momentos, parece que ele murmura a letra (mas ele só canta baixo demais mesmo) e força a voz em certos pontos.

Louis diz que é uma das melhores performances da noite. Cheryl diz que ele foi a surpresa da noite, Simon diz que essa é a segunda versão, cantada em um reality, que acha fantástica (apesar de não dizer, todo mundo sabe que a primeira é a do Adam Lambert). Dannii elogia a performance e por Aiden se mostrar vulnerável para a música. Nota: 7

Treyc Cohen – One (U2): Lindos vocais, enunciação, sua rendição esbanja alma e carisma. Teria sido uma tragédia não ter Treyc na competição esse ano, simplesmente a melhor da categoria Girls.

Louis diz que o momento dela chegou. Dannii a acha fenomenal. Simon declara o melhor vocal de toda a competição e se arrepende de não terem dado seu devido valor. Cheryl se diz sortuda de ter Treyc na categoria (sortuda é pouco!!!). Nota: 9

Ao final dessas duas horas, Dermot revela que dois competidores serão eliminados no domingo.

Comparada às outras temporadas, foi uma estréia razoável, os meus preferidos foram Treyc Cohen, Matt Cardle e Mary Byrne.

Acredito que os possíveis eliminados serão Wagner, John, Belle Amie, Katie ou F.Y.D (por terem sido os primeiros). Aposto em Wagner e F.Y.D indo para casa.

5 Responses to REVIEW: The X Factor 7.11 – Top 12 – Nº1 Singles

  1. @ZePicelli disse:

    Meu Deus! Como eu queria que chegasse logo essa fase da competição.
    Preciso dizer que algo que me deixa extremamente entusiasmado com esse programa é a forma que eles tratam os participantes. Eles não os tratam como cantores que estão participando de uma competição de canto mas sim como verdadeiras estrelas. A produção visual dos cantores é impecável. Os videozinhos posados de apresentação que passam logo antes de entrarem no palco é o ponto alto por retratá-los como verdadeiras estrelas da música.
    Cher, por exemplo, parecia uma cantora super famosa com suas poses e olhares naqueles poucos segundos dos videos.
    Sem contar as apresentações. O fato de poderem levar bailarinos para enriquecer a performance é compreensível, já que ajuda a compor esse ar de “cantores consagrados” que o programa tenta passar.
    Falarei das apresentaçòes dos competidores para quem torço.
    Primeiro Matt. Gostei da música mas acho que ele olhou demais para a platéia.rs Senti falta do cara com olhos fechados “sentindo a música”.

    Cher começou meio acanhada mas se soltou completamente no palco. Os vocais me irritaram aqui e ali ao parecer um pouco despreparado, mas a performance num todo me agradou.
    Ela tem algo de semelhante a Siobhan. Assim como a cantora do American Idol tinha o grito como uma carta na manga que, as vezes, acabava prejudicando a cantora, Cher tem o rap como esse artificio duvidoso. Ao passo que o rap pode ajudar a dar aquele tchan em sua apresentação, as vezes ele acaba soando desnecessário e quebrando o ritmo da apresentação. Espero que essa não torne a marca da cantora, assim como o grito da Siobhan – ok, eu AMO o grito da Siobhan mas convenhamos que há momentos certo para tal.

    Mary, meu Deus, como ela está confortável no palco! Ela esperou TANTO por esse dia, por estar sendo apreciada por uma grande platéia! É incrível como ela consegue transformar essa alegria de estar cantando em motivaçao para fazer uma performance impecável. A postura, as caras, o vocal, tudo muito bom! A música não me agradou MUITO, mas é inegável que foi uma ótima apresentaçao.

    Já Treyc eu não sei. Esperava mais. Eu senti ela meio all over de place. Eu sei, a maioria não achou isso, mas eu acho que ela foi com muita emoçao desde o início e essa música requer um certo crescimento =/
    O vocal dela estava ótimo, mas preferia o jeito calmo que Adam Lambert começou sua versão.

    Valeu pelo post, Giro! Foi em tempo record esse, hein? hehehe

  2. Marcelo Silva disse:

    Excelente post. Não acompanho o programa, mas sempre que dá dou uma olhada nos reviews, hehe. Em parte pra saber se o programa está bom, mas principalmente pra ver as escolhas das músicas.

    Bom, ver esse valeu muito a pena. Lá vou eu procurar Trayc cantando One, hehehehe.

    • @ZePicelli disse:

      Procurar? @gireogiro linkou tudo, mano! Ele é a eficiência em pessoa! _o/ hahahaha

      • Marcelo Silva disse:

        Tá me mata pq eu pensei que os nomes não eram hyperlinks ok?

        Hehehehe, mas já vi a apresentação. Realmente, a mulher canta demais. E olha que eu implico fácil com qualquer cover que vejo das minhas bandas preferidas, hehe. Odeio a versão da Mary J. Blidge por exemplo… mas essa ficou bem boa mesmo.

  3. Jana disse:

    Eeee o Matt trocou a camisa quadriculada e a Katie aprendeu ‘We are the champions’ haha mas brincadeiras a parte,essa fase do programa é a que mais gostei!!!Porque é realmente aqui que eles vão mostrar se tem o pop star completo. Matt, Mary e Cher ainda continuam sendo meus favoritos!Alguns foram bem melhores do que nas outras fases,e me surpreendi,outros continuam na mesma ou ate decairam,mas o nivel continua bom!
    Agora só uma pergunta,por que o Louis ainda insiste no misto de toureiro,cantor de opera e meio brasileiro Wagner? hahaha meoo ele só é uma diversão para o público!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: