REVIEW: The X Factor 7.04 – Cardiff/London Auditions

Desta vez em Cardiff, a cantora Pixie Lott se junta aos jurados para dar continuidade a nossa jornada sem fim por novos talentos.

Convenhamos que apesar já termos encontrado alguns destaques nos últimos episódios, o talento da maior parte dos candidatos aprovados até agora é bem inferior ao de candidatos de temporadas passadas.

Então rezem para que os produtores do programa tenham feito um trabalho melhor ao escolherem quais audições irão ao ar.

Kash Dholliwar – 21 – “Closer”: Momento “Olha como sou bonito, rico, tenho duas BMWs, brincos de diamante falsos (na verdade são supostamente de ouro branco), já fui modelo, bla bla bla”.

Como tem gente nesse mundo que simplesmente não tem noção do ridículo, o cara canta e dança tão mal, mas TÃO mal, que até os amigos fazem cara feia, e tenho certeza que um deles se arrependeu de vir apoiá-lo, já que ate tentou esconder um pouco o rosto. Ri alto com a desgraça dele.

Diana Zavina – 37 – “I’m Coming Out”: Como eu queria que a Diana cantasse bem, ela é tão meiga, positiva e ainda tem cara de ser meio louca. Mas enfim, com uma voz dessas, é melhor continuar cantando no chuveiro ou não cantando nunca.

Danomic – 17 – “Everybody In Love”: Escolheram uma baladinha animada pra cantar e “cantam” desse jeito? Tomassem um energético antes de entrar no palco, não que isso fosse ajudar nos vocais, mas pelo menos seria mais engraçado.

Rob Burn – 55 – “I Feel Good”: Divorciado por diferenças musicais (ela gostava de heavy metal e ele de soul), este barman me fez mudar de opinião para melhor em menos de 2 segundos.

Apesar da performance de bêbado e grito inicial bizarro, cantou bem, segue na disputa e deve ser eliminado logo de cara quando chegar no Boot Camp.

Tom Richards – 16 – “The Man Who Can’t Be Moved / This Is The Moment”: “TMWCBM” é uma das minhas músicas favoritas do The Script, e vê-lo cantar essa música sem prestar nenhuma atenção no significado dela me aborreceu profundamente, apesar de ter uma das melhores vozes de sua categoria vistas até o momento.

Até os 6 segundos da música eu gostei dele, mas depois ele foi correndo pra lá e pra cá achando que tava arrasando e foi tudo ladeira a baixo a partir daí.

Parte do trabalho de um cantor é entender, se conectar com o que se está cantando e entregar uma performance adequada e é exatamente o oposto que vemos aqui.

Concordei plenamente com Cheryl, quando se canta uma música como esta, o foco TEM que ser a emoção, é preciso sentir a música e interpreta-la adequadamente.

Incrivelmente, Simon julga Tom baseando-se na indústria fonográfica, coisa que não vemos a um bom tempo: “O mercado mudou drasticamente para cantores da sua idade, e isso é o que eu chamaria de uma apresentação de uma boyband de 5 ou 6 anos atrás. É crucial que você saiba sobre esse buraco na indústria e o que você está tentando fazer.”.

Após ser criticado por sua entrega, Louis pede para Tom cantar outra música e podemos ver claramente o nervosismo do rapaz.

Tom decide cantar “TITM” e é advertido novamente por Simon, cantar uma música simplesmente por cantar, sem mostrar por nenhum segundo que tem uma identidade musical formada.

Apesar de ter uma voz ótima pra alguém que só tem 16 anos, confesso que respirei aliviado quando Pixie deu um “não” ao garoto (por não achar que ele não é o tipo certo para a indústria), empatando a votação e eliminando o garoto.

Após muita gritaria e Louis dando piti na mesa de jurados, Pixie ressalta que aprova-lo não é a coisa certa a se fazer, mas acaba cedendo a pressão feita por Walsh e a platéia.

Katie Smith – 17 – “Use Somebody”: Apesar de sua audição consistir apenas de “someone like you, oh oh oh”, Katie apresenta uma voz aparentemente limitada, mas tem algo diferente no tom dela, que não sei bem ao certo o que. Usarei meu lado Veronica Mars pra ver se encontro outros vídeos e ver se ela realmente vale a pena.

Update: Depois de procurar, achei a audição completa da Katie, que foi ao ar durante o The Xtra Factor.

Definitivamente Katie tem algo especial em sua voz, ainda a acho limitada vocalmente, mas soube interpretar perfeitamente a música e adorei a dicção de certas palavras (parece besteira, mas faz a diferença para mim).

Lauren Francis – 18 – “I Heard It Through The Grapevine”: Tom de voz interessantíssimo, sua voz me lembrou de Duffy. Fiquem de olho nela durante o Boot Camp.

Lee Vaughan – 29 – “Come Together”: Como o nosso amigo Lee DeWyze, o carismático e divertido Vaughan também tem uma rouquidão na voz que adoro.

Lee se animou tanto ao se apresentar, que em certo momento da música, começou a se esfregar em um dos pilares do palco.

Desta forma, encerramos as audições em Cardiff e dizemos adeus a adorável Pixie Lott, que desempenhou um bom papel como jurada, quando teve a chance e não foi bullied por Louis para mudar seu voto.

E quando acreditávamos que tudo havia acabado, estamos novamente em Londres…

Quem acha que Londres já deu o que tinha que dar levanta a mão!!!

Mas já que não temos escolha, cruzem os dedos e rezem pelo melhor, que o pior tem sempre um lugar garantido.

Bun ‘nd Cheese – 19 a 23 – “Listen”: Nunca ri TANTO numa audição, pelos seguintes motivos:

  • Vamos começar pelo nome ridículo da banda (algo como pão e queijo), pois elas adoram comer pão com queijo. ¬¬
  • Simplesmente começam a conversar quando o playback começa a tocar.
  • Simplesmente não sabem nenhuma parte da música, só soltam alguns “ohs” e “listen” entre longos segundos de silêncio.
  • “Somos um ótimo grupo, somos únicas, pode acreditar em mim.”
  • “Não somos uma piada. Por que seriamos uma piada? Porque somos pão e queijo?”

Nicolo Festa – 21 – “A Song For You”: Oh DEUS!!! Esse episódio ta mais pra show humorístico do que outra coisa.

Esse italiano é uma grande DIVA!!! E detalhe, ele quer mostrar quão grande o X Factor dele é… o.O Alguém quer ver o X Factor dele? Haha

Enfim, cantou como uma diva, berrou notas como uma, tem a atitude de uma, desafinou um pouco como uma diva, só faltou a mãozinha no ar enquanto cantava as notas altas.

E apesar de ser aprovado por todos, faz cara de quem comeu e não gostou, achando que merecia mais elogios.

F.Y.D. – 21 a 26 – “She Said”: Pelo que foi mostrado, não deu pra muita noção deles como um grupo, já que dos cinco rapazes, somente dois foram mostrados cantando. Apesar disso, por algum motivo acredito no potencial deles.

Raquel Thomas – 19 – “Superwoman”: Mostrou ter uma voz forte e carisma, nessa apresentação à capella.

Jo Beetlestone – 23 – “All The Man That I Need”: Sabia que os dentes dos cavalos nunca param de crescer? Acabei de aprender isso com a Jo, que está estudando para ser dentista para cavalos.

Aleluia, finalmente alguém que podemos levar a sério como cantora!!!!

Tem uma voz potente e gostosa de escutar, e ainda cantou com paixão.

E adorei a vovó dela com aquela cara de choro, da vontade de abraçar.

Paije Richardson – 19 – “Fly Me To The Moon / It’s a Man’s Man’s Man’s World”: Paije se encaixa na mesma situação de Tom Richards, foi eliminado após a primeira música, mas Louis dá outro piti e pede para o garoto voltar ao final do dia para cantar algo mais contemporâneo. Apesar de ter se saído bem melhor com a segunda música, cantou duas músicas totalmente diferentes que não mostram que tipo de artista ele pode vir a ser.

E assim, terminamos mais uma semana de audições no The X Factor.

Apesar de ter sido um episódio relativamente fraco em talentos, gostei por terem focado algumas audições no fato de o candidato ser viável no mundo real, e não somente para a competição.

Os destaques dessa semana ficam para Jo, Lauren, Nicolo, Paije e Tom. E podem apostar, Paije ou Tom vão acabar entrando no Top 12 por conta do drama causado em suas audições.

No próximo episódio finalmente veremos Cheryl Cole entrando em colapso e teremos a presença da Pussycat Doll Nicole Scherzinger, que promete ser tão bozo quanto Katy Perry.

E atenção, semana que vem serão dois episódios, um no sábado e outro no domingo. YAY!!!

Observação: Peço desculpas pelos vídeos com várias audições, não consegui encontrar vídeos separados das audições de algumas pessoas.

2 Responses to REVIEW: The X Factor 7.04 – Cardiff/London Auditions

  1. Pingback: Manual das Encalhadas

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: