REVIEW: The X Factor 7.01 – Glasgow Auditions

 

Olá pessoal! Sou Will Takaezu, séries junkie e estarei fazendo parte da equipe do Ritual de Séries para comentar semanalmente a nova temporada de The X Factor.
Após coroar Joe McElderry e dar a segunda vitória consecutiva a mentora Cheryl Cole, a sétima temporada de The X Factor retornou as TVs britânicas no último dia 21 de Agosto batendo recordes de audiência, trazendo novos talentos e polêmicas.

 

De volta ao painel de jurados e auxiliando os participantes, temos Simon Cowell, Louis Walsh, Dannii Minogue e Cheryl Cole.

Para quem não conhece a dinâmica do programa, os participantes são divididos em quatro categorias (meninas, meninos, acima de 27 anos e os grupos) a serem assessorados pelos jurados (escolha de música, arranjo, coreografia, etc.).

O que diferencia o X Factor de American Idol, além de permitirem participantes mais velhos e grupos, é que a partir do Top 12, o público tem controle parcial sobre o destino do eliminado da semana, sendo que os dois participantes menos votados se apresentarão novamente e os jurados decidirão quem será o eliminado da semana (no caso de empate, o menos votado é eliminado).

Logo no começo do episódio nos é apresentado um preview dessa audition season: Briga entre jurados, gente desafinando, tirando a roupa, chorando e é claro, gente talentosa.

Com a participação da eterna Ginger Spice, Geri Halliwell (substituindo Dannii que está de licença maternidade), nossa jornada começa na cidade de Glasgow, onde os candidatos cantarão uma musica a sua escolha à capella ou acompanhados de um playback que decidirá se cairão, ou não, nas graças dos jurados e do público.

Stephen Hunter – 41 – “Disco Inferno”: Stephen é um daqueles participantes que tem tudo pra ser um desastre, e em minha opinião é. Mas com uma dança ridícula e escolha de música duvidosa, Stephen consegue elogios e aprovações de todos os jurados, apesar de um vocal instável.

Gamu Nhengu – 18 – “Walking On Sunshines”: Nos primeiros segundos podemos notar que a jovem possui uma boa voz e energia, mas parece ser um tanto genérica, e também senti uma vibe Haeley Vaughn, o que não é uma coisa boa. Acredito que não irá muito longe na competição, mas avança para o Boot Camp.

G&S (Gay & Straight) – 37 e 21 – “Don’t Stop Believing”: Peter e Caroline, respectivamente gay e hétero, formaram a dupla após o chefe de Caroline perceber que havia algo de especial neles.
Logo nos primeiros segundos já podemos concluir o obvio, mais uma dupla que não possui nada a oferecer, a não ser risadas. Mas é só Peter  terminar sua parte da música que temos uma agradável surpresa, Caroline realmente tem uma voz. A dupla é desfeita e Caroline canta sozinha uma versão de “Get Here”.
O engraçado é que Caroline teve um melhor desempenho cantando com seu parceiro do que sozinha, desempenho provavelmente afetado pelo nervosismo.
Todos os jurados aprovam Caroline, com a exceção de Simon que não acha que ela tenha uma voz e confiança forte o bastante para sobreviver na competição.

Katie Waisal – 24 – “We Are The Champions/At Last” – A participante mais irritante do episódio, com um visual anos 80, Katie mais enrola do que canta. Ela esquece a letra de “WATC” e após implorar por uma segunda chance, sua versão de “At Last” não impressiona, Louie aponta sabiamente que “Katie tem mais estilo do que substância”, mas apesar disso é aprovada pelos jurados.

Shirlena Johnson – 30 – “Mercy” – Shirlena deveria receber o prêmio Tatiana DelToro de loucura. Durante sua audição, a moça simplesmente anda pelo palco com uma mescla de canto/gemido/possessão cantando somente “mercy” ou “release me, release us” e nada mais. Mesmo após essa apresentação bizarra, Shirlena avança para a próxima fase, surpreendendo muitos.

E com essa palhaçada termina o primeiro (morno) episódio desta nova temporada, com um nível de talento inferior às temporadas passadas, não acredito que nenhum dos participantes apresentados em Glasgow tenham chances de chegar ao Top 12.

Polêmicas:

Após o episódio ir ao ar, foi anunciado que Shirlena deixou a competição devido a sua saúde mental, mas desde então sua situação ainda não é certa, já que Shirlena e sua família lutam para que ela volte à competição.

O episodio também causou reboliço na mídia ao mostrar participantes cantando com voz alterada pelo uso de Auto Tune (técnica que pode melhorar ou piorar a voz), porém Simon Cowell baniu o uso do software e afirmou que isto não irá acontecer novamente.

3 Responses to REVIEW: The X Factor 7.01 – Glasgow Auditions

  1. Janaína Bianchi disse:

    Well well well.. que episodio doido não?? Enfim descordo de vc Will ao falar da Gamu..acho q ela pode ir mais longe do q pensamos,claro q estava nervosa,mas acho q tem mto talento para mostrar!!Do resto….. ‘release me’ uahahha

  2. Diogo Voltolini disse:

    Concordo com a Janaína.. Gamu eh super talentosa.. acho que ela irá mttt longe no programa, quem sabe seja a ganhadora o//
    torço por ela..
    Junto com a Cher e o Matt que foram fantasticos..😀

  3. stefanny disse:

    como faço pra assistir online?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: