Últimos pensamentos antes do fim de Lost

Caros Damon Lindelof e Carlton Cuse:

É hoje. Pra ser mais exato, é daqui a uma hora. Sabe aquelas coisas que você sabe que vai acontecer e aguarda ansiosamente por elas, mas alguma parte sua não acredita que o dia realmente vai chegar? Eu estou assim agora.

Comecei a ver Lost em 2006, entre a 2ª e a 3ªtemporada. Naquela época, a série era um fenômeno absoluto, que todo mundo amava de paixão e comentava freneticamente. Na verdade, só fui começar a ver porque tinha acabado a 10ªtemporada de Friends e precisava de alguma outra série, mas queria alguma que ainda não tinha acabado. Na época, ninguém falava de outra série de TV a não ser Lost. Portanto, em um mês, devorei as duas primeiras temporadas da série em DVD. Quando terminei, a 3ªtemporada estava no 5ºepisódio. Corri para começar a acompanhar.

A partir daí, não teve jeito: acompanhar semana a semana, ter que esperar uma semana inteira para um novo episódio… isso foi criando uma conexão ainda maior com a série e não demorou muito, Lost já era minha nova série preferida. Mas ela é mais importante que isso na minha vida.

Minha fascinação com Lost me deixou curioso para correr atrás de outras séries conhecidas: 24 Horas, House, Prison Break… e mais que isso, eu comecei a ficar incomodado, porque na época, nenhum dos meus amigos assistia Lost também, eu precisava comentar o que acontecia na série com alguém – hoje, quase todos assistem… veja só – e então, a única solução que vi, num mundo sem Twitter, foi criar um blog. Sim, a série que vocês criaram é a razão para eu ter criado o Comentando Séries e mais tarde o Ritual. Sem vocês, eu nem estaria escrevendo aqui.

Sobre a série… meu Deus, o que dizer sobre o que vocês fizeram nesses 6 anos? Só o piloto já é uma das coisas mais incríveis que vi numa série em muito tempo. Mesmo depois de conhecer várias outras, continuo tendo esse episódio como um exemplo. Álias, toda a 1ªtemporada da série me faz bater palmas para vocês. Os mistérios foram tão perfeitamente colocados, o monstro, os esqueletos, os números, a escotilha! Meu Deus, a escotilha me deixou desesperado e aquele final de temporada então…

A 2ª foi a que fez Lost passar a ser uma devoção para algumas pessoas. Criou-se toda uma mitologia, a Iniciativa Dharma, o computador com os números, as outras escotilhas, Fundação Hanso… vocês conseguiram deixar milhões de pessoas presas a uma série de TV de um jeito como não acontecia há muito tempo. E o melhor: colocaram a internet como instrumento essencial para a série, inovando para sempre o mundo das séries.

Depois disso teve a obra-prima “Through the Looking Glass”, Benjamin Linus, viagens no tempo, respostas para os grandes mistérios que vocês criaram… nem tudo agradou, isso é óbvio, mas independente disso, tudo foi feito de uma maneira tão bem-feita, que não tem como não elogiar vocês.

Agora, chegou o final. A maioria das grandes perguntas foi respondida, eu não fiquei tão satisfeito com tudo, mas bom… a gente queria respostas e vocês deram certo? Não dá pra reclamar que não se importaram em responder nada. Mas sabe que no fim das contas, eu nem me importo tanto com as respostas? Passei a me importar com a história dessa ilha, com as jornadas de Jack, Sawyer, Hurley, Sayid, Locke… ok ok, de Kate também. Mais do que as respostas, quero ver como as histórias deles vão terminar.

Enfim, obrigado. Agradeço a vocês e é claro – e a J.J. Abrams também, claro – por terem criado Lost. Mais do que isso, por terem criado personagens tão fascinantes, histórias tão incríveis e uma trama tão maravilhosamente intrigante. A ideia de que não ficarei mais ansioso para janeiro chegar e uma nova temporada começar, de que não vou mais ver as piadas de Hurley, os planos de Ben, os apelidos de Sawyer e até as cagadas de Jack, me deixam triste de uma maneira que soa quase besta, mas não dá pra evitar: pra qualquer outra pessoa, estou assim “só” por um programa de TV. Mas não… eu estou assim por uma das mais incríveis experiências que já tive.

Lost é uma experiência que hoje chega ao fim e uma das séries mais marcantes da história da TV. Mas como foi dito no penúltimo capítulo… It’s time to let go.

Obrigado por tudo e see ya in another life, brothas!

Marcelo Silva

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: